10 caminhões que não deram certo no Brasil

caminhões que não deram certo

Ao longo dos anos, alguns caminhões são lançados e outros saem de linha, como um ciclo. Pode ser devido ao passar do tempo ou ao aperfeiçoamento da tecnologia, o lançamento de um novo modelo, são vários os fatores que podem fazer um modelo de caminhão parar de ser produzido.

Entretanto, alguns caminhões não dão certo e são tirados de linha pouco tempo após seu lançamento. O que faz um modelo de caminhão não emplacar nas vendas? Os motivos variam desde à aparência do caminhão até o custo benefício e a qualidade do motor. Listamos 10 caminhões que saíram de linha aqui no Brasil pois deram errado e não emplacaram nas vendas. Alguns, inclusive, causaram prejuízo! Confira:

 

1 – GMC + Isuzu 190/220

caminhões

Imagem: Caminhões Antigos Brasileiros

A GMC já tinha veículos leves lançados no Brasil, mas queria incluir em seu portfólio também os pesados. Por isso, fez uma parceria com a Isuzu e, juntas, criaram o 190/220. Transportadoras vizinhas compraram mais de 100 caminhões, apostando no modelo, que após alguns anos acabou saindo de linha. O caminhão durou aproximadamente 10 anos e deixou muita gente na mão quando parou de ser fabricado.

 

2 – MB 1929-1934, Teresona

caminhões

Imagem: Caminhões Antigos Brasileiros

O modelo da Mercedes-Benz apelidado de Terezona por ter uma cabine com pouca ventilação e abafada, foi fabricado entre os anos 1987 e 1991. O caminhão era bonito, mas muito pesado e gastão e saiu de linha apenas 4 anos após seu lançamento.

 

3 – Ford – Sapão F14000

ford sapão

Imagem: J Serrano Caminhões

Devido à aparência, o modelo da Ford não emplacou vendas e logo foi substituída pelo Pitbull. No quesito funcionamento, não era um caminhão ruim, mas seu design não agradou o público e ele acabou saindo de linha.

 

4 – VW 25370 Constellation

caminhão

Imagem: Blog do Caminhoneiro

Na época, deu dor de cabeça para a montadora e para quem comprou! A grande reclamação era que o motor aquecia e perdia força e, por isso, quem tinha esse modelo da Wolkswagen estava sempre na oficina mecânica. Lançado em 2007, o veículo foi fabricado até 2011. A montadora chegou a trocar de fornecedor, mas a fama ruim já tinha se espalhado. Daí a montadora resolveu tirá-lo do mercado, lançando o 25390 (e esse sim deu super certo!).

 

5 – Iveco 190/ Fiat quadrado

caminhões

Imagem: Mitula

As grandes reclamações eram que o caminhão não tinha força, esquentava e devido à vedação ruim, ficava sujeito à entrada de chuva e poeira.

Surgiu até uma lenda sobre isso, chamada de “teste do gato”. Esse “teste” servia para comparar a vedação da cabide de um Volvo e um Iveco, deixando um gato vivo em cada caminhão durante uma noite. Na manhã seguinte, o gato que estava no Volvo tinha morrido por falta de oxigênio, já que a vedação do caminhão era excelente. O gato que estava no Iveco havia fugido, mostrando o quão ruim era a vedação da cabine de um Iveco 190.

Os caminhões da época deram tão errado que a montadora foi embora do Brasil em 1985 para voltar somente 10 anos depois, agora com muito mais qualidade em seus veículos.

 

6 – Volvo 280

caminhões

Imagem: Trucadão

O modelo foi desenvolvido para puxar até 25 toneladas, promessa que não foi cumprida devido à capacidade do motor. Essa foi a principal razão para o Volvo 280 parar de ser fabricado no Brasil. O modelo, que foi lançado em 1989, saiu de linha em 1991.

 

7 – MB 1928

mb 1928

Imagem: John-W

Ao ser lançado, a ideia era um caminhão mais barato que Scania e Volvo, mas seu motor era fraco em comparação com essas marcas. Por isso, o MB 1928 saiu logo do mercado: começou a ser vendido em 1997 e saiu de linha em 1998.

 

8 – Volvo – trucado com segundo eixo de rodado simples

caminhões que não deram certo

Imagem: Julio Cesar Carneiro

Haviam poucos modelos trucados no mercado brasileiro da época e a ideia era que o caminhão levasse um pouco mais de carga que um toco. Essa “ideia” não pegou e o caminhão também durou pouco: de 1991 à 1994.

 

9 – Alfa Romeu FNM

alfa_romeu

No início da década de 60, o Alfa era o queridinho dos estradeiros. O modelo foi responsável por lançar uma moda que não deu certo: o segundo eixo dianteiro. Mas por que não deu certo? Provavelmente porque a intenção era fazer o modelo levantar mais carga, só que com o mesmo motor, que não respondia.

Hoje em dia, parece que o jogo virou. Quem diria que mais de 50 anos depois os bitrucks seriam a bola da vez!

 

10 – MB 180

MB_180

A montadora tinha altas expectativas para esse furgão urbano que foi lançado em 1994. Porém, provavelmente porque o modelo era pouco prático e feio, não durou nada.

 

chineses

Estande da Shacman na FENATRAN | Imagem: Logística sobre rodas

Bônus: Caminhões chineses

Recentemente, os caminhões que realmente deram errado foram os chineses. Montadoras como a Sinatruck e Shacman chegaram anunciando investimentos e planos de longo prazo, mas aí veio a crise e tudo mudou. Quem comprou ficou na mão, sem assistência ou peças. A única montadora chinesa que continua atuando no Brasil é a Foton, que parece ter chegado para ficar.

 

 

 

 

Por Pietra Alcântara

1