5 montadoras que deixaram o Brasil

montadoras que deixaram o Brasil

Imagem: BS Locações Cruzeiro

A economia instável do país reflete diretamente no mercado de veículos de carga e muitas montadoras com fábrica no Brasil enfrentaram tempos difíceis. Mas o que dizer das montadoras que ainda estavam ingressando no país? Algumas delas desembarcaram em terras brasileiras, mas tiveram uma duração muito curta no nosso mercado. Confira 5 montadoras que deixaram o Brasil:

 

Iveco

Imagem: Lexicar Brasil

A Iveco possui atualmente uma crescente participação no mercado brasileiro de caminhões, mas nem sempre foi assim. Sua primeira vinda ao Brasil, em 1982, veio associada à Fiat Diesel, marca italiana que vinha sofrendo no Brasil. O objetivo era produzir no país caminhões leves, médios e pesados da marca, porém a gestão da empresa foi de mal a pior, de modo que sua produção jamais alcançou níveis razoáveis.  Em junho de 1985, sem nenhum comunicado às autoridades federais ou locais, sem sequer um aviso à rede de revendedores, a produção foi suspensa e a fábrica definitivamente fechada. A Iveco somente retornou ao Brasil dez anos depois, com a importação de alguns caminhões por uma empresa brasileira, sem participação oficial da Fiat.

 

GMC

No Brasil, desde que deu início à nacionalização de seus caminhões e picapes conforme programa aprovado pelo GEIA, a GM escolheu o nome Chevrolet para representar os veículos de sua fabricação. Os primeiros caminhões Chevrolet brasileiros, com cerca de 40% de componentes produzidos no país, foram lançados em 1957; no ano seguinte saiu a primeira picape e no início de 1959 foi inaugurada a fábrica de motores, permitindo atingir a quase integral nacionalização da linha de modelos.

Com uma trajetória de altos e baixos, a última aparição pública da GMC foi na 8º Fenatran. Menos de dois meses depois, em janeiro de 2001, a General Motors comunicou oficialmente o encerramento definitivo da produção de caminhões no Brasil. A “aventura” GMC não chegou a trazer dividendos para a GM, que continuava com participação inexpressiva no setor (4,5% em 2000 e 5,4% em 2001), recuando para 7º lugar entre os fabricantes nacionais.

 

International

Os primeiros caminhões com a marca International chegaram ao Brasil na década de 1940, com os modelos K9. Em 1942 estes caminhões foram utilizados nas obras de infraestrutura no Rio de Janeiro. No fim da década de 50, a International contava com a linha de montagem do caminhão N-184, na cidade de Santo André, em São Paulo.  Na década de 90, a International Caminhões passa a produzir seus caminhões em uma linha de montagem instalada em Caxias do Sul – RS, em parceria com a brasileira Agrale.

Porém em 2002, com a chegada da crise e a desvalorização do real, a empresa anunciou o fim das vendas de caminhões no Brasil. Calcula-se que entre 1998 e 2002, pouco mais de 3 mil caminhões foram produzidos, um número muito baixo, se comparado com as expectativas da empresa no país. Em 2010, a International Caminhões retornou ao Brasil e hoje comercializa seus caminhões por aqui, tendo uma unidade Industrial no Rio Grande do Sul.

 

Sinotruk

Em 2009, um grupo de empresários do ramo de transportes no Sul iniciou o processo de estruturação para importar oficialmente os caminhões da marca chinesa para o Brasil. Em abril de 2010, a recém fundada Elecsonic, localizada na cidade de Campina Grande do Sul, no Paraná, deu início as importações e comercialização dos caminhões Howo 380 com trações 6×2 e 6×4, fazendo com que os veículos Sinotruk passassem a rodar por nossas terras. Chegaram até mesmo a planejar a construção de uma fábrica em Santa Catarina.

Houveram acordos e investimentos para que a primeira fábrica da Sinotruk fora da China fosse construída na cidade de Lages, estando prevista para começar a operar em 2015. Porém, a montadora não veio até hoje e a cidade ficou no prejuízo. 

 

Shacman

A marca surgiu na China em 1968 e hoje conta com 30 mil trabalhadores. A montadora veio para o Brasil em 2011 e, assim como outras marcas da época, anunciaram investimentos para o país, chegando a inaugurar uma fábrica em Tatuí, SP. Hoje, o lugar se encontra fechado.

E você, acompanhou a trajetória de alguma dessas montadoras no Brasil? 

 

Por Pietra Alcântara com informações da Lexicar Brasil

1