O que fazer se não pagaram meu frete?

frete

Com a crise, percebemos que as reclamações dos parceiros de trecho sobre falta de pagamento só aumentaram. Principalmente quanto ao saldo frete, que é o restante do frete que a transportadora paga ao estradeiro, geralmente quando a carga é entregue.

Esse foi o tema de uma dúvida trazida pela parceira Roberta Siqueira durante uma transmissão ao vivo no Facebook do Pé na Estrada.

Gostaria de saber como proceder caso o caminhoneiro não consiga receber o saldo frete das transportadoras. Existe algum lugar para denúncia?

Recomendamos que, primeiramente, você procure seu sindicato. É importante lembrar dos sindicatos nessas horas, afinal todo trabalhador paga o imposto sindical anualmente e o sindicato pode e deve ser um bom aliado para garantir os direitos dos trabalhadores.

Depois de recorrer ao sindicato, com sua ajuda, tente conversar com a transportadora e procurar resolver a falta de pagamento com medidas amigáveis, pois dessa forma você poderá ser pago de maneira mais rápida. Se possível, evite ações judiciais, pois levam muito mais tempo e custam caro.

Mas, se mesmo com as suas tentativas, você e a empresa não entrarem em acordo, é hora de entrar na justiça para exigir o pagamento. Você precisará entrar com uma denúncia para o Ministério do Trabalho. Uma ação judicial demora em torno de 2 anos para ser concluída, por isso só recorra a ela se realmente for necessário. Caso o valor cobrado seja até 20 salários mínimos, você pode ir sozinho ao Tribunal de Pequenas Causas. Se o valor for maior que 20 salários mínimos, você precisará de um advogado.

Denunciar dá resultado? Falamos sobre isso em uma matéria do Pé na Estrada – clique aqui para ler.

 

Evite problemas na hora do pagamento

Muitos problemas que acontecem entre transportador e caminhoneiro podem ser evitados na hora da assinatura do contrato. Fique ligado em algumas precauções que podem ser tomadas antes de aceitar a carga e se previna:

  • Nunca assine um contrato sem lê-lo e exija sempre uma cópia para ficar com você;
  • Sempre tenha em mãos comprovantes e documentos que comprovem o serviço prestado;
  • Antes de aceitar uma carga, pesquise sobre a empresa e peça referências;
  • Não faça contratos sozinho – peça ajuda;
  • Cobre participação de seu sindicato e recorra à ele caso tenha alguma dúvida a respeito de seus direitos.

 

Assista também a matéria do Pé na Estrada sobre como evitar calote e fique esperto!

E você, também tem alguma dúvida sobre o trecho? Fique ligado e acompanhe nossas transmissões ao vivo pela fanpage do Pé na Estrada no Facebook, todas as terças-feiras às 12h30 e as quintas-feiras na página de Pedro Trucão também às 12h30.

 

Por Pietra Alcântara

1