Pelo terceiro ano consecutivo, o feriado de Ano Novo não teve mortes registradas na BR 163, no trecho de 850,9 km sob concessão da Rota do Oeste. Dados da Concessionária apontam ainda que de 29 de dezembro de 2017 a 1º de janeiro de 2018 houve uma redução no número de feridos em acidentes, de 40 para 34 vítimas.

Você sabe o que fazer ao presenciar um acidente? Confira o link e relembre o assunto!

De acordo com Wilson Ferreira, gerente de Operações da concessionária, outro ponto a ser destacado é quanto à diminuição na quantidade de atendimentos a condutores por problemas mecânicos e elétricos nos veículos. Ele diz que isto é resultado da conscientização dos motoristas quanto à revisão de seus carros e maior cuidado na rodovia. “Tivemos uma queda de 25% no registro de superaquecimento de motores, 17% de pane seca e 3% de pane mecânica. Isto para o período festivo é algo extremamente positivo, pois indica a preocupação dos condutores que pegam as estradas, além de diminuir os congestionamentos e bloqueios na rodovia”, disse.

O número de acidentes na BR 163 sob concessão da Rota do Oeste passou de 55 para 65 neste feriado. Do total, 32 foram registrados na sexta-feira, quando o fluxo de veículos é maior. Já no retorno do Réveillon, a quantidade de acidentes se manteve, com 11 no domingo.

Acidentes no Trânsito

Segurança ao volante é um assunto que nunca sai de pauta, afinal o trânsito é a nona maior causa de mortes do planeta. Segundo o DPVAT, a previsão é que entre os anos de 2011 e 2018, pelo menos 400 mil brasileiros morram em acidentes de trânsito. Esse é, inclusive, o período da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, uma ação que visa diminuir os números de acidentes nas estradas.

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), todos os anos aproximadamente 1,3 milhões de pessoas morrem vítimas da imprudência ao volante. Dos sobreviventes envolvidos em acidentes, cerca de 50 milhões acabam com sequelas. O levantamento foi feito em 2009 em 178 países. Desses, o Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, atrás da Índia, China, EUA e Rússia. Segundo o Ministério da Saúde, em 2015, foram registrados 37.306 óbitos e 204 mil pessoas ficaram feridas.

O que pode ser feito para que esses números mudem? As tentativas de reverter esse quadro vão desde a construção de rodovias mais seguras à carros cada vez mais equipados com dispositivos de segurança. Mas nada disso adianta sem um condutor educado e preparado para assumir a direção. Segundo especialistas, a formação ideal de um motorista consciente começa muito antes dos 18 anos. Se pedestres e motoristas fizerem sua parte, o cenário de acidentes de trânsito no Brasil tem chances de mudar.

Ouça o podcast do Pé na Estrada sobre segurança no trânsito – clique aqui para conferir.

E você, o que faz para evitar acidentes no trecho?

Por Pietra Alcântara com informações da Rota do Oeste

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here