Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) listou os pontos onde é mais comum haver neblina nesta época do ano nas rodovias sob concessão. Confira:

Grande São Paulo, Baixada Santista e Vale do Paraíba

– Interligação Planalto do Sistema Anchieta-Imigrantes (SP-40), do km 0 ao km 8, São Bernardo do Campo;

– Rodovia dos Imigrantes (SP-160), do km 32 ao 47, São Bernardo do Campo;

– Sistema Anhanguera-Bandeirantes (SP-330 e SP-348) a incidência de neblina ocorre geralmente nos trechos entre Perus e Caieiras (do km 25 ao km 42);

– Rodoanel (SP-21), entre os quilômetros 0 e 7 e do km 24 ao km 26, São Paulo e Osasco/Cotia;

– Rodoanel (SP-21), na altura do km 76, São Bernardo do Campo;

– Rodoanel Trecho Sul (SP-21): do km 47 ao km 50 e do km 62 ao km 86, na região das Represas Guarapiranga e Billings, passando pelos municípios de São Paulo, São Bernardo do Campo, Santo André, Ribeirão Pires e Mauá e pela interligação com as Rodovias dos Imigrantes (km70) e Anchieta (km75);

– Rodovia Anchieta (SP-150), do km 32 ao km 45, regiões de São Bernardo e Cubatão;

– Sistema Ayrton Senna-Carvalho Pinto (SP-70), ocorre geralmente entre o km 45 e o km 49; do km 55 ao km 60; do km 65 ao km 70; do km 73 ao km 77 e do km 80 ao km 84 – entre Mogi das Cruzes e Jacareí.

– Rodovia dos Tamoios (SP-99), no trecho de serra entre o km 68 e o km 73, mas também há ocorrência na altura dos quilômetros 17, 30, 50 e 62, Região do Vale do Paraíba.

  Região de Campinas

– Rodovia D. Pedro I (SP-65), do km 23 ao km 51, Igaratá e Nazaré Paulista;

– Sistema Anhanguera-Bandeirantes (SP 330/SP 348), do km 46 ao km 68, do 120 ao 132, entre o 138 e o 171 – Jundiaí, Americana e Limeira;

– Rodovia dos Bandeirantes (SP 348), do km 86 ao km 95, Campinas;

– Rodovia Anhanguera (SP 330), do km 100 ao km 103, Campinas;

– Rodovia Adalberto Panzan (SPI-102), entre os km 0 e 7, Campinas;

– Rodovia Monsenhor Clodoaldo de Paiva (SP-147), do km 50 ao km 52, região de Mogi Mirim;

– Rodovia Professor Zeferino Vaz (SP-332), do km 130 ao km 140, Paulínia e Cosmópolis;

– Engenheiro Constâncio Cintra (SP-360), do km 63 ao km 81, Jundiaí e Itatiba;

– Romildo Prado (SP-63), do km 0 ao km 15, Itatiba e Louveira.

  Região de Sorocaba

– Rodovia Raposo Tavares (SP-270), km 48 e km 52, região de São Roque;

– Rodovia Castelo Branco (SP-280), do km 50 ao km 58, regiões de São Roque e de Araçariguama;

– Rodovia Santos Dumont (SP-75), km 33, região de Itu;

– Rodovia Dom Gabriel Paulino Bueno Couto (SP-300), km 109/110, região de Itu;

– Rodovia Marechal Rondon (SP-300), do KM 202 ao km 225 e do km 235 ao km 246, região de Botucatu.

  Regiões Central, Franca e de Ribeirão Preto

– Rodovia Anhanguera (SP-330), do km 227 ao km 235, região de Santa Rita do Passa Quatro e Porto Ferreira;

– Rod. Washington Luís (SP-310), do km 191 ao km227, região de São Carlos;

– Antônio Machado de Sant´Ana (SP-255), do km 46 ao km 49, entre Guatapará e Rincão;

– Rodovia Anhanguera (SP-330), do km 247 ao km 250 e entre o km 299 e o km 301, trechos de Santa Rita do Passa Quatro e Cravinhos;

– Rodovia Cândido Portinari (SP-334), do km 335 ao km 337 e do km 370 ao km 373, Brodowski e Batatais/Restinga.

  Regiões de Bauru, Marília e Presidente Prudente

– Rodovia João Baptista Cabral Rennó (SP-225), nos quilômetros 261 – Piratininga, 288 – Espírito Santo do Turvo; 290 – Santa Cruz do Rio Pardo;

– Rodovia Orlando Quagliato (SP-327), nos quilômetros 9, 17 (Santa Cruz do Rio Pardo) e 30 (Ourinhos);

– Rodovia Raposo Tavares (SP-270), nos quilômetros 408, 419, 426, 437,447, 471,481, 497 – entre Ibirarema e Rancharia; nos km 621 e km 635 – Presidente Venceslau/Cauiá.

Leia também:

13 Dicas para uma viagem segura sob neblina 

“Temporada de neblina” aumenta risco de acidentes 

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here