sábado, outubro 31, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Bolsonaro fala em possibilidade de mudar a política de preços da Petrobras

- Publicidade -

Em sua transmissão semanal, realizada ontem, 16, Bolsonaro tocou em um dos assuntos mais polêmicos do ano, o preço do combustível. Pressionado pelos constantes aumentos decorrentes da política indexada ao mercado internacional, o presidente falou na possibilidade de mudar a política de preços da Petrobras.  

imagem do presidente Jair Bolsonaro sobre mudar a política de preços da petrobras“O pessoal reclama do preço da gasolina, R$ 5, e me culpam. Atiram para cima de mim o tempo todo. O preço do combustível é feito lá pela Petrobras, que tem a sua política de preço. Leva-se em conta o preço do barril de petróleo lá fora, bem como a variação do dólar. Lógico que, se a gente puder rever isso aí sem prejuízo para a empresa, não tem problema nenhum. Às vezes a política pode ter algum equívoco.”

A fala dá margem para interpretar-se que Bolsonaro poderia intervir na petroleira, mas com a cautela necessária para não agitar o mercado. E de fato o mercado não se alardeou com a fala do Presidente. As ações da Petrobras começaram o dia com leve alta e depois registraram leve queda, mas sem movimentações bruscas.

O petróleo e a inflação

Se Bolsonaro vai mexer na política de preços da Petrobras ou não, ainda não se sabe, mas o que se sabe é que a alta dos combustíveis em geral está fazendo pressão na inflação, o que, em um momento de baixa atividade econômica, pode afetar ainda mais a recuperação esperada para o País. A inflação do mês de março, por exemplo, foi de 0,75%, a maior desde 2015. O maior fator dessa alta foi exatamente a alta dos combustíveis, seguido por alimentos e bebidas.

O Presidente afirmou ainda que existe outra forma de o preço do combustível cair e então passou a palavra para Bento Albuquerque, Ministro de Minas e Energia, explicar qual forma é essa.

“Quando nós tivermos maior produção. Quando nós não formos dependentes do petróleo. Porque nós ainda importamos uma grande quantidade de diesel, gasolina e etanol.”

Esse aumento de produção foi exatamente um dos temas de debate de autônomos em sessão na Câmara do Deputados em Brasília. Segundo os motoristas, a Petrobras, ao invés de investir em aumento de produção, vende refinarias, o que não trará redução de preço.

Diesel e Cartão Caminhoneiro

Durante a Transmissão, Bolsonaro falou ainda a respeito do Cartão Caminhoneiro. Passando a palavra novamente a Albuquerque.

Imagem do Ministro De Minas e energia sobre mudar a política de preços da petrobras“Uma boa notícia é que hoje a Petrobras anunciou que no próximo dia 20 de maio vai iniciar os testes com o Cartão do Caminhoneiro. Cartão esse que possibilitará mais segurança, facilidade, flexibilidade e garantir o preço do combustível como forma de cartão pré-pago por até 30 dias.”

O ministro afirmou ainda que os testes começam dia 20/05 nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Até dia 25/06 a medida deve chegar a todo o Brasil. A ação foi feita com foco no motorista autônomo, mas também é válida para empresas.

Autônomos, por sua vez, também reclamaram do Cartão na Câmara dos deputados. O questionamento é, quem pode ficar com dinheiro parado 30 dias em um cartão, quem tem o capital para isso, empresas ou autônomos?

Por Paula Toco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados