sábado, setembro 25, 2021

Brasil quer chegar a 30% de combustíveis renováveis até 2030

Atualmente, o Brasil é o segundo maior produtor de biodiesel no mundo e é líder na produção de etanol vindo da cana de açúcar. É isso que afirma o secretário de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia (MME), José Mauro Coelho, em entrevista ao programa A Voz do Brasil. O país também foca na produção de combustíveis renováveis.

Segundo ele, nossa matriz energética e de transporte é uma das mais limpas do mundo. Cerca de 25% do combustível que utilizamos é proveniente de fontes renováveis e a meta é chegar a 2030 com uma participação de 30%. “Isso é único no mundo”. Os biocombustíveis são considerados fontes de energia de menor impacto ambiental pois representam uma diminuição significativa na emissão de gases causadores do efeito estufa (GEE). 

Programa Combustível do Futuro

Um dos responsáveis por esse incremento será o programa Combustível do Futuro. Lançado em abril deste ano, ele tem como objetivo propor medidas para incrementar o uso de combustíveis renováveis e de baixa intensidade de carbono, bem como a aplicação de tecnologia veicular nacional, com biocombustíveis, com vistas a maior descarbonização da nossa matriz de transporte.

“O Brasil avançou muito nos veículos Flex Fuel, na utilização dos biocombustíveis. Nesse período de transição energética temos de desenvolver ainda mais essa tecnologia veicular.” Outro objetivo é desenvolver novos biocombustíveis: “Estamos olhando pra frente e vendo novos combustíveis que possam ser inseridos na nossa matriz energética, na nossa matriz de transportes”, disse.

Veja Também: Rota 2030: entenda a nova política para o setor automotivo

O mercado de biocombustíveis

De acordo com Coelho, o mercado de biocombustíveis já é uma realidade no transporte de cargas com o uso do biodiesel. Outras opções são o diesel verde, que já vem sendo usado na Europa, o gás natural e o biometano

Veja também: faça o teste para saber se você entende de caminhões a gás. 

Segundo ele, a ideia é, por meio do Combustível do Futuro, desenvolver opções para o setor aéreo e aquaviário. No caso da aviação, será utilizado o bioquerosene de aviação. O programa também traz estímulos para que operadores de Petróleo e Gás Natural invistam em pesquisa e desenvolvimento.

Frentista abastecendo caminhão
Imagem: PNE

PL dos biocombustíveis avançados

Recentemente, o deputado Ricardo Barros (PP-PR) apresentou na Câmara dos Deputados o Projeto de Lei 1873/21, que institui um programa federal para incentivar a pesquisa, produção e o consumo dos biocombustíveis avançados no país. O texto também estabelece um cronograma de adição obrigatória desses biocombustíveis avançados ao óleo diesel e ao querosene de aviação.

O deputado afirma que a legislação em vigor contempla com benefícios apenas os biocombustíveis tradicionais, como o etanol, que pertencem à primeira geração desenvolvida no mundo, centrada em culturas alimentares (como cana e milho).

No momento, o projeto tramita em caráter conclusivo pelas comissões de Minas e Energia; e de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ). Se aprovado, vai para o Senado e depois para a presidência.

Por Daniel Santana com informações da Agência CNT Atual

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados