segunda-feira, setembro 20, 2021

Caminhoneiros recebem multas de até R$ 10 mil por ocupação na Esplanada

Nesta sexta-feira, 10, a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, foi liberada para o trânsito por volta do meio-dia após quatro dias de protestos de grupos de caminhoneiros favoráveis ao governo Bolsonaro e contra o Supremo Tribunal Federal (STF). A Polícia Militar do Distrito Federal aplicou multas em pelo menos 50 caminhoneiros pela ocupação da Esplanada.

De acordo com o coronel Resende, ao site UOL, cada infração varia de R$ 6.000 a R$ 10 mil. Com isso, o valor total das multas para os caminhoneiros que acamparam na Esplanada chegou de R$ 300 mil a R$ 500 mil somente na quinta-feira.

Caminhoneiros, Esplanada, Multas
Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Fonte: Agência Brasil EBC

Os grupos de caminhoneiros começaram a se retirar da região da Esplanada na noite de quinta-feira, logo após o presidente Bolsonaro emitir uma carta afirmando que as ameaças feitas ao STF durante as manifestações foram feitas no calor do momento e que nunca teve a intenção de agredir outros poderes.

As vias N1 e S1, que ficam entre a Catedral e a Avenida José Sarney, voltaram a ter a circulação de veículos permitida, assim como o acesso à Praça dos Três Poderes, que estava interditada até domingo, 12.

Não houve multas nos protestos no Paraná e em São Paulo

O Pé na Estrada entrou em contato com polícias rodoviárias federais de São Paulo e Paraná e obtivemos a resposta de que não houve penalidades aos manifestantes por obstrução de via nesses estados.

“Apesar dos pontos de concentração e manifestações às margens da rodovias e áreas particulares (postos de combustíveis etc), em vários pontos das rodovias federais do Paraná, nos dias 07, 08 e 09 de setembro, não houve a conduta para enquadramento na infração prevista no artigo 253 do CTB, bloquear a via com veículo; e consequentemente lavratura dos autos de infração”, disse o Núcleo de Comunicação Social do Paraná.

No entanto, o comunicado informa que as lideranças dos grupos de caminhoneiros que participaram dos protestos podem ser autuadas por outras sanções penais cabíveis, se necessário.

Em São Paulo, “as negociações foram feitas dentro de um clima de diálogo e diplomacia entre a PRF e os manifestantes”, afirmou a PRF local.

 

Por Wellington Nascimento

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados