quinta-feira, setembro 24, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Concessão das BRs 163 e 230 é aprovada

- Publicidade -

O plano de outorga apresentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para a concessão das BRs 163 e 230, no Mato Grosso e Pará, foi aprovado pelo Ministério da Infraestrutura e submetido ao Tribunal de Contas da União (TCU) pela ANTT no dia 13 de maio. Isso significa que o ministério aprovou as regras para concessão das suas rodovias, definidas pela ANTT.

Um dos pedágios inclui cobrança exclusiva para veículos de carga. Como assim? Continue lendo e entenda.

Leia também: Caminhoneiros são presos no Maranhão por vender soja roubada

BRs 163 e 230
Concessão de trechos das BRs 163 e 230 é aprovada | Imagem: ANTT

 

Concessão

De acordo com a ANTT, a concessão consiste na exploração por 10 anos da infraestrutura e da prestação de serviço público de recuperação, conservação, manutenção e ampliação de capacidade das BRs 163 e 230.

Os trechos abrangidos são:

  • entre o entroncamento com a Rodovia MT 220 em Sinop e a divisa dos Estados de Mato Grosso e Pará, em Guarantã do Norte;
  • BR 163, no trecho compreendido entre a divisa dos Estados do Mato Grosso e Pará, em Novo Progresso e o entroncamento com a BR 230 em Itaituba (PA);
  • BR 230, no trecho compreendido entre o entroncamento com a BR 163 em Itaituba e o início da travessia do Rio Tapajós, no distrito de Miritituba.

O sistema rodoviário compreende um total de 970 km de extensão, sendo um dos principais corredores para escoamento da safra de grãos e um vetor de integração do Centro-Oeste e Norte do Brasil.

O trecho viabiliza o escoamento de áreas produtoras e fomentando a economia de 13 municípios em duas unidades federativas.

O modelo proposto se difere dos demais por se tratar de uma rodovia onde grande parte do tráfego é de veículos de carga.

O prazo da concessão será de 10 anos, em virtude da expectativa de início de operação da Ferrovia Ferrogrão, que promete absorver grande parte da demanda atendida pela rodovia.

Isso alteraria o cenário de viabilidade econômico-financeira do projeto. Para o alinhamento dos cronogramas de operação da rodovia e da ferrovia, o contrato poderá ser prorrogado por até 2 anos.

 

Pedágio

A Tarifa Básica de Pedágio definida é de R$ 0,0897/km, que será cobrada nas praças P1 a P3:

PRAÇA

PEDÁGIO

RODOVIA

LOCALIZAÇÃO

VALOR (R$) TARIFA

P1

Itaúba

BR 163/MT

km 920,6

8,97

P2

Guarantã do Norte

BR 163/PA

km 1090,6

8,97

P3

Trairão

BR 230/PA

km 642,4

69,09

 

Em razão de a característica do tráfego ser de transporte de carga, predominantemente, foram alocadas 3 praças de pedágio, onde a última praça concentra grande parte do trecho e terá cobrança exclusiva para os veículos de carga.

 

Investimentos

Estão previstos R$ 1,89 bilhões de investimentos e aproximadamente R$ 1,02 bilhões de custos e despesas operacionais nas BRs 163 e 230. Serão implementados 35 km de faixas adicionais, 30 km de vias marginais, 173 km de acostamento e 187 acessos, incluindo acessos aos terminais portuários de Miritituba (transportuária), Santarenzinho e Itapacurá.

 

Inovações 

O critério de leilão é o tradicional de menor tarifa, mas haverá a simplificação dos atestados de qualificação técnica: apenas será obrigatória a apresentação de atestado de qualificação técnica para operação de rodovias, não sendo mais exigível a entrega de atestado de manutenção e construção em empreendimentos semelhantes.

A medida objetiva afastar barreira de entrada a novos atores, permitindo que empresas capazes de operar os serviços não, obrigatoriamente, sejam as construtoras.

 

Adaptado de ANTT

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados