terça-feira, janeiro 26, 2021

Conheça os desafios de logística da vacina contra covid-19

- Publicidade -

Nesta quarta-feira, 16, o governo federal lançou oficialmente o Plano Nacional de Imunização. Durante o evento, o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello falou sobre a vacina contra a covid-19, tão aguardada pela população. Uma das falas do ministro que chamou a atenção da mídia foi sobre a logística da vacina.

Leia também: Como a pandemia pode mudar o transporte?

logistica da vacina
Ministro da Saúde Eduardo Pazuello e presidente Jair Bolsonaro em evento sobre Plano Nacional de Vacinação | Imagem: Governo do Brasil/Divulgação

“Não se preocupem com a logística. A logística é simples, apesar do nosso país ser desse tamanho, nós temos estrutura, nós temos companhias aéreas, nós temos Força Aérea Brasileira, nós temos toda a estrutura já planejada e pronta”, afirma Pazuello.

Segundo ele, o governo federal entregará o material para a imunização aos estados, que serão responsáveis pela logística e distribuição em seus territórios. Assim, os estados terão de fazer as vacinas chegarem nos municípios, que aplicarão as vacinas. O Ministério da Defesa auxiliará no trabalho.

Mas será que a logística da nova vacina é realmente simples, como diz o ministro? Um estudo da DHL, em parceria com a McKinsey & Company destrincha a questão.

 

Desafios da logística da vacina da covid-19

logistica da vacina
Imagem: Pixabay

Atualmente, mais de 250 vacinas estão sendo desenvolvidas e testadas em sete plataformas tecnológicas. De acordo com a DHL, uma vez que as vacinas contra a covid-19 pularam fases de desenvolvimento, requisitos mais rígidos de temperatura (até -80°C) poderão ser impostos para certas vacinas, a fim de garantir que sua eficácia seja mantida durante o transporte e o armazenamento.

Esses requisitos geram novos desafios de logística para a cadeia atual de suprimentos hospitalares, que normalmente distribui vacinas a aproximadamente 2°C a 8°C.

No estudo, a DHL avalia como o transporte das vacinas, enquanto produtos com alta sensibilidade à temperatura, pode ser gerido de modo eficaz para enfrentar uma propagação maior do novo coronavírus.

Para fornecer cobertura global de vacinas contra a covid-19, serão necessários até 200 mil embarques de paletes e até 15 milhões de entregas em caixas de refrigeração, bem como 15 mil voos, aproximadamente, serão necessários nas várias configurações da cadeia de suprimentos.

“A distribuição global das vacinas contra a Covid-19 precisaram de uma rede estendida que fosse flexível o suficiente para satisfazer a demanda em várias partes do mundo, de uma base sólida de serviços com controle de temperatura e de uma cadeia segura de suprimentos hospitalares,” afirma Claudia Roa, VP do setor de Global Life Sciences and Healthcare na DHL Americas, DHL Customer Solutions and Innovation.

“Uma parceria direta entre os setores público e privado garantiria que esses embarques altamente sensíveis preservassem sua integridade e fossem entregues de modo eficaz por todo o mundo.”

 

Adaptado de Medicina SA e G1

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados