sábado, outubro 31, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Do Brasil para o mundo! Conheça o caminhão elétrico brasileiro que pode rodar na Europa

- Publicidade -

Como brasileiros, a gente já conhece o procedimento: as montadoras europeias desenvolvem seus caminhões e mandam para os engenheiros brasileiros fazerem as adaptações necessárias para que eles rodem aqui. Não desta vez… A Volkswagen Caminhões e Ônibus juntou seu time de engenheiros em Resende/RJ e desenvolveu o primeiro caminhão elétrico brasileiro que pode rodar na Europa.

Caminhão elétrico e não a combustão

e-Delivery
O e-Delivery pode ser o primeiro caminhão elétrico brasileiro a rodar na Europa

O caminhão você já conhece, é o e-Delivery, desenvolvido em parceria com o cliente Ambev, que tem testado e aprovado os resultados até agora (veja mais abaixo). A grande diferença é a possibilidade de levar esse produto para outros países. Nos motores a combustão isso nunca foi possível, já que a Europa sempre esteve mais avançada que o Brasil em legislação antipoluente. Enquanto aqui estamos no Euro V e o Euro VI deve chegar apenas em 2023, lá ele já vale desde 2014. Porém, quando falamos em veículos elétricos, que não geram poluição, essa limitação deixa de existir.

Em 2 de outubro deste ano a Volkswagen apresentou o e-Delivery na Suécia para que jornalistas de diversas partes do mundo pudessem testá-lo e, segundo Roberto Cortes, CEO da montadora, existe interesse real no produto brasileiro.

Christian Levin, chefe de operações do grupo Traton (do qual fazem parte, além da Volkswagen Caminhões e Ônibus, MAN e Scania), afirmou: “Nós esperamos que o e-Delivery venha sim para a Europa. Teremos a resposta em novembro. Se a Volkswagen conseguir nos entregar um modelo de 17 toneladas, o que eles disseram que conseguem, isso atenderá às regulamentações europeias.”

 

O modelo testado na Europa

veículos comerciais elétricos
O primeiro caminhão elétrico brasileiro a rodar pela Europa e o primeiro ônibus flex também – em teste na Suécia

Para o teste europeu a Volkswagen aproveitou seu modelo de e-Consórcio e o montou com motor Hino, empresa parceira do grupo. Conheça o modelo apresentado na Suécia:

O modelo de 4 toneladas é ideal para operações urbanas de distribuição com cargas mais volumosas. Seu trem de força entrega em torno de 85 kW e torque máximo de 280 Nm, associado a uma redução de 12:1. O motor é de alta rotação, alcançando 8.000 rpm para produzir toda a potência necessária à operação. Sua autonomia pode chegar a 200 quilômetros com seu conjunto de baterias de íon de lítio.  

Sua configuração se diferencia dos demais modelos e-Delivery porque a tração é dianteira. Baterias e sistemas auxiliares estão localizados na porção central e traseira, mostrando a flexibilidade da arquitetura da VWCO.

Conta ainda com sistema de resfriamento e aquecimento do conjunto de baterias para garantir uma maior vida útil. Também incorpora todas as soluções de inteligência já disponíveis no restante da linha e-Delivery, como modo de carregamento rápido, função de economia de energia, freio regenerativo, auxílio para partida em rampas, suspensão independente, entre outros.

Abastecimento de veículo elétrico
Veículo comercial elétrico sendo abastecido

Como novo atributo, está o carregador embarcado, que viabiliza a recarga AC e pode se caracterizar como alternativa quando não houver infraestrutura disponível. O VW e-Delivery de 4 toneladas vem ainda com pneus de baixo atrito específico para veículos elétricos, com menor resistência ao rolamento para maior duração de cada carga na bateria.

 

Os testes da Ambev no e-Delivery

caminhão elétrico brasileiro
Modelo em teste pela Ambev (esquerda) e caminhão elétrico brasileiro mostrado na Europa (direita)

A Ambev, que hoje responde por 30% de toda a cerveja fabricada no mundo, tem um objetivo interno de se tornar uma empresa mais sustentável, por isso assumiu o compromisso de diminuir suas emissões de CO2 em 25% até 2025. Isso passa por gerar sua eletricidade de forma sustentável e também pelo objetivo de ter 1/3 de sua frota composta por veículos não poluentes até 2023. Para alcançar esse objeto é que a empresa pretende ter 1.600 e-Deliverys em sua frota até essa data.

Os testes nas primeiras unidades já duram 1 ano e os resultados, segundo a empresa, são satisfatórios.

  • Mais de 15 mil quilômetros em testes de engenharia e condições reais na distribuição de bebidas em São Paulo
  • mais de 11 toneladas de CO2 deixaram de ser emitidas na atmosfera
  • o e-Delivery deixou de consumir mais 3.300 litros de diesel
  • 43% de sua energia foi proveniente do próprio sistema regenerativo de freios do veículo
  • A experiência também gerou evoluções no desenvolvimento do modelo de 11 toneladas
  • Aperfeiçoamentos em seu sistema como o processo de resfriamento e aquecimento do conjunto de baterias, por exemplo, proporcionam uma maior durabilidade para o sistema, o que eleva inclusive sua capacidade de carga.

O único problema, segundo os motoristas, é que o silêncio faz com que as pessoas não percebam a proximidade do veículo, por isso, o motorista precisa de mais atenção.

Características do veículo:

e-Delivery em teste na Ambev
e-Delivery em teste na Ambev

Localizado na porção traseira, seu trem de força oferece até 200 kW de potência, com máximo de 2.150 Nm mesmo em baixas rotações e dispensa o uso de transmissão devido a seu alto torque transmitido de forma imediata ao eixo trativo. Parte em rampas de 30% sem qualquer dificuldade.

Na parte central, vem o conjunto de baterias de íon de lítio que propicia em torno de 200 quilômetros de autonomia, variando de acordo com a configuração do veículo para atender à aplicação do cliente. Nessa contabilidade, não se considera a extensão viabilizada com a energia recuperada com o freio regenerativo de três estágios, que recarrega as baterias.

Para o melhor custo operacional, o modelo conta com um controle inteligente que pode programar a recarga apenas para os horários de menor consumo na rede elétrica e, consequentemente, tarifas reduzidas.

Os sistemas auxiliares como compressores de ar, ar-condicionado, bomba de direção e de água ficam a cargo de motores elétricos controlados de forma independente, otimizando o consumo de energia dos mesmos. Esses componentes estão localizados no módulo dianteiro do veículo, assim como a cabine, desenhada para ser a mais moderna do mercado de caminhões leves do mundo.

Alia-se a esse trabalho o esforço para manter ao máximo os componentes tradicionais da linha Delivery, ganhando economia de escala e consequente redução de custos.

O e-Delivery, nas versões 11 e 14 toneladas, deve entrar em linha de produção no final de 2020, mas você poderá conhecê-lo na Fenatran 2019.

 

Por Paula Toco

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados