Quem trafega pela rodovia Régis Bittencourt, entre São Paulo e Curitiba, encontra obras de duplicação da Serra do Cafezal em ritmo acelerado. Atualmente, 100% do trecho previsto em contrato estão em obras. Os trabalhos estão concentrados no trecho central da Serra, entre o km 348 e o km 361,5, nos dois sentidos da rodovia. No local, estão em construção quatro túneis e 26 novos viadutos.

As obras começaram 2010 e já foram liberados para o trafego 17,5 quilômetros de pista nova, do total de 30 quilômetros, com a construção de nove viadutos. Dos nove trechos do total das obras, quatro já foram executados, o que representa quase 80% da duplicação. A concessionária trabalhar para concluir em fevereiro de 2017.

Terraplanagem e abertura das novas pistas

A maior concentração de frentes de obras está nos lotes 4 e 5, com serviços de terraplanagem para abertura das novas pistas, drenagem profunda (bueiros e galerias) revestimentos vegetais de taludes de cortes e aterros (encostas) e pavimentação. Nestes lotes, estão sendo construídos 19 viadutos. Os lotes 1, 2, 8 e 9 já estão em operação, que compreendem as duas extremidades da Serra – trecho do Distrito Barnabés e do Bairro Engano e o trecho do Bairro Santa Rita, no pé da serra.

Maior investimento

Por ser o único trecho em pista simples da rodovia, a duplicação da Serra do Cafezal é a obra mais importante do contrato de concessão firmado entre a concessionária e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). O investimento é de cerca de  R$1 bilhão.

Uma obra erguida em etapas

A história da duplicação da Rodovia Régis Bittencourt remonta à segunda metade da década de 60. As obras de duplicação começaram pelas extremidades e no início dos anos 70 as saídas e de Curitiba e de São Paulo já estavam duplicadas.

Somente na década de 90 o trecho paulista começou a ser duplicado, com obras pontuais que duraram pouco mais de dez anos. Em 2001, a rodovia estava quase totalmente duplicada, com exceção do trecho da Serra do Cafezal. A primeira licença (Licença Prévia) da serra é datada de 1992. As obras não foram realizadas porque a Licença foi contestada. O Ministério Público acolheu a denúncia e uma Ação Civil Pública decorrente durou até o final de 2010 quando foi declarada improcedente.

Assista reportagem gravada em 2015

Confira algumas imagens atuais

duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal duplicação da Serra do Cafezal

Por Jaime Alves com informações e fotos da Autopista Régis

9 COMENTÁRIOS

  1. Vergonha, esta duplicação foi prometida em 1984 durante o final do Governo Figueiredo (Regime Militar) e até hoje não ficou pronta !
    A única coisa que funciona mesmo na Regis Bittencourt são os Pedágios !
    “Isto é uma vergonha” e o consórcio responsável pelas obras vive fazendo promessas que nunca são cumpridas !
    A ultima promessa é entregar até o final de 2017, só quero ver…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here