terça-feira, junho 22, 2021

Eletromobilidade na IAA 2018 – confira os destaques das montadoras

Eletromobilidade na IAA 2018 é o assunto da vez. O evento acontece em Hanover, na Alemanha, e é a maior feira de caminhões do mundo. Praticamente todas as marcas presentes nesta IAA possuem ao menos 1 opção de veículo elétrico.

As empresas focam agora em sustentabilidade do setor de veículos comerciais, por isso além do elétricos, podemos encontrar também caminhões de baixa emissão de gases e veículos híbridos – que misturam eletricidade e combustíveis fósseis para funcionar.

Veja as transmissões ao vivo direto da IAA 2018 no Facebook do Pé na Estrada.

eletromobilidade_na_iaa_2018

Continue lendo e confira alguns destaques das montadoras presentes nesta IAA 2018:

 

Iveco

Com um estande 100% livre de diesel, a montadora está presente no evento trazendo veículos GNV, que funcionam com gás natural. Um deles é o caminhão Eurocargo NP, que oferece baixas emissões e operação silenciosa, podendo entrar em áreas de tráfego restrito nos centros das cidades.

eurocargo_iveco

Outro veículo exposto na feira pela Iveco é o Stralis NP, que segundo a montadora é o primeiro caminhão a gás natural projetado especificamente para o transporte de longa distância no mercado. Uma das versões do Stralis, o Stralis NP 460, foi eleito caminhão de baixo carbono do ano no Reino Unido.

stralis_np

 

Volvo

No estande da Volvo, há uma edição especial do caminhão Volvo FH, que está completando 25 anos, alcançando 1 milhão de unidades produzidas.

FH_25_year

Em 2019, a Volvo Trucks começará a comercializar na Europa caminhões 100% elétricos para uso urbano e em operações de coleta de lixo. Os Volvo FL e FE Electric, introduzidos no decorrer deste ano, são os destaques da montadora e prometem um trânsito urbano mais limpo e silencioso.

volvo_fl_eletric
FL Eletric, caminhão elétrico da Volvo.

Como estes veículos não têm emissões de escapamento, são indicados para uso em terminais, dentro de instalações ou para transporte em áreas urbanas com limitações de níveis de emissões.

O Volvo FL  Electric está disponível em PBTs de 16 a 27 toneladas, com autonomia de até 300 km. A tecnologia está baseada nas soluções usadas nos ônibus eletrificados Volvo, dos quais já foram comercializadas mais de 4.000 unidades.

 

Volkswagen

A montadora trouxe para o evento veículos comerciais que lembram kombis, ambas totalmente elétricas e com muitas soluções que prometem melhorar o dia a dia do motorista. Ambos os modelos são veículos conceito, ou seja, ainda não estão disponíveis para comercialização.

O primeiro é o Buzz Cargo, pensado para o tráfego urbano e totalmente elétrico. Possui o conceito de “internet das coisas” e promete funções automáticas como a abertura de portas.

Buzz Cargo, veículo comercial conceito da Volkswagen.

O segundo é a van conceito Crafter HyMotion, sucessora do e-Crafter para longas distâncias. O modelo é uma van elétrica de 3,5 toneladas cuja energia é fornecida por uma célula de combustível. Seu tanque de hidrogênio de 4,2 kg permite um alcance total de 350 km.

Crafter HyMotion, van conceito da Volkswagen para longas distâncias.

 

Volkswagen caminhões e ônibus

e_delivery_

O e-Delivery, primeiro caminhão leve 100% elétrico desenvolvido no Brasil, que já foi apresentado inclusive na última Fenatran, também marca presença na IAA 2018. Para saber mais sobre o modelo, clique aqui.

 

DAF

Os destaques da DAF na IAA 2018 podem ser resumidos em 2 modelos: os caminhões DAF LF e CF, já conhecidos por aqui. Qual a diferença? O uso de eletricidade e baixa emissão de gases.

O novo caminhão LF Elétrico é totalmente elétrico e pesa 19 toneladas. Ele foi pensado para operações na cidade e seu  motor é alimentado por uma bateria de até 222 kWh, fornecendo um alcance de até 220 km quando o caminhão estiver totalmente carregado

Como a bateria é modular, a capacidade pode ser dimensionada para o intervalo exigido pelos clientes.

Já o DAF CF Elétrico é a solução de emissão zero para distribuição urbana que exigem cargas e volumes mais altos. Isso inclui aplicações em que os semi-reboques de eixo simples ou duplo são o padrão, como na entrega em supermercados.

O caminhão é baseado na versátil série CF da DAF – que ganhou o prêmio de “Caminhão Internacional do Ano de 2018” – e usa tecnologia E-Power da VDL para operação totalmente elétrica.

A CF Electric tem um alcance de aproximadamente 100 quilômetros, com carregamento rápido das baterias que pode ser realizado em 30 minutos ou uma carga completa pode ser realizada em apenas 1,5 horas. O tempo de carga e descarga de carga pode ser usado para carregar a bateria.

Outra versão do CF é o DAF CF Híbrido, que mistura eletricidade e tecnologia diesel ultralimpa.

Seu motor elétrico é alimentado por uma bateria de 85 kWh, que permite uma faixa de emissão zero, elétrica completa de 30 a 50 quilômetros, dependendo do peso bruto de combinação. As baterias podem ser carregadas pelo motor diesel durante as operações na estrada, e usando um carregador DC em um local de carregamento.

O veículo é projetado com uma capacidade de carga rápida que leva 30 minutos para uma carga completa e apenas 20 minutos para uma carga de até 80%.

Fora das áreas urbanas, o CF Hybrid é alimentado pelo motor a diesel PACCAR MX-11, onde a tecnologia híbrida oferece economia de combustível adicional graças ao gerenciamento inteligente de energia. A energia regenerativa é capturada durante a frenagem e ao usar controles relacionados à velocidade. Essa energia pode ser usada pelo motor elétrico para operar em conjunto com o motor a diesel para reduzir ainda mais o consumo de combustível.

 

Scania

O destaque da Scania na IAA 2018 em Hanover fica a cargo de um novo caminhão elétrico híbrido, o PHEV. O lançamento usa a Scania Zone – uma tecnologia de suporte disponibilizada pela Scania –  para facilitar o controle das emissões e regular a velocidade do veículo em certas zonas.

PHEV_scania_hybrid

Os novos caminhões híbridos são movidos pelo DC09 da Scania, um motor de cinco cilindros em linha que pode funcionar com HVO (óleo vegetal tratado com hidro) ou diesel, trabalhando em paralelo com uma máquina elétrica gerando 130 kW (177 hp) de potência e 1.050 Nm.

Cab exterior of a Scania L-series hybrid

A janela de energia da bateria recarregável de lítio está definida para 7,4 kWh para garantir uma longa duração da bateria. Os caminhões podem ser movidos no modo totalmente elétrico sem qualquer suporte do motor de combustão, graças aos auxiliares elétricos para a direção e suprimento de ar do freio.

 

Nissan

nissan_camper

A Nissan, que não comercializa veículos de carga para o Brasil, traz uma versão elétrica de uma van de camping, o e-NV200 Camper. O modelo NV200 já possuia uma versão elétrica para operações de entrega e transporte, por isso a montadora resolveu adicionar ao seu portfólio uma versão específica para quem usa o veículo para o lazer.

nissan_camper_aberto

 

Mercedes-Benz

furgoes_mb
Da esquerda para a direita: eVito, eSprinter e Sprinter F-CELL.

Os furgões da marca estão entre os destaques da IAA 2018. A Mercedes apresenta a eSprinter como lançamento, seguindo o eVito, modelos totalmente elétricos. A nova eSprinter será oferecida inicialmente como furgão na versão teto alto e PBT de 3.500 kg. Como numa Sprinter com motor de combustão interna, a carga máxima é de 10,5 m3.

e_sprinter

Outro veículo que merece destaque é a Sprinter F-CELL, que usa o conceito de células de combustível. O funcionamento de uma célula de combustível é parecido com o de baterias, com o benefício de funcionar por muito mais tempo, uma vez que não haverá esgotamento dos reagentes.

sprinter_f_cell

Os três reservatórios na subestrutura armazenam um total de 4,5 kg de hidrogênio, o que leva a uma autonomia de cerca de 300 km. Se for necessária uma autonomia maior, poderá ser adicionado outro reservatório na traseira do veículo, elevando a autonomia para 530 km.

A marca alemã apresenta em seu estande a versão elétrica do Fuso eCanter, que é o primeiro caminhão dessa natureza a ser produzido em série.  Segundo a Mercedes, o modelo além de elétrico é também econômico para seus usuários.

fuso_ecanter_mb
Fuso eCanter.

As baterias, que juntas pesam cerca de 600 quilos, permitem uma autonomia de mais de 100 km – mais do que suficiente para o transporte diário de distribuição urbana na maioria dos casos. Também há mais: comparado a um modelo de diesel convencional, os custos operacionais do eCanter podem ser de até 1.000 euros mais baixos para cada 10.000 km percorridos.

fuso_ecanter_logo

A montadora também exibe em seu estande uma versão do Actros 100% elétrica.

actros_eletrico
Actros 100% elétrico exposto no estande da Mercedes-Benz na IAA 2018.

Mas a estrela da marca na IAA 2018 é seu novo Actros que se dirige sozinho. Já falamos sobre ele por aqui, clique no link para saber mais.

 

Renault

renault_trucks_ze_cinza

Seguindo a tendência de eletro-mobilidade, a Renault Trucks, apresentando na Europa a linha ZE, com sua segunda geração de veículos 100% elétricos. Com caminhões projetados para uso urbano, quem estiver na IAA 2018 poderá conferir os modelos Master ZE e Range D Wide ZE, equipados com um corpo de lixo.

renault_trucks_ze

Os caminhões da Renault não tem previsão de chegada no Brasil, uma vez que a montadora por aqui não fabrica veículos de carga.

 

Será que essa moda pega no Brasil?

Ao ver tantas inovações em veículos de cargas lançadas na IAA, alguns podem pensar que o Brasil vem na rabeira. Mas não é bem assim. Quando o assunto é sustentabilidade em veículos de carga, o Brasil já possui opções viáveis. Não somos apenas expectadores das mudanças no mundo automobilístico e sim fazemos parte dessas inovações.

Por aqui, temos veículos que funcionam com combustíveis alternativos, como o álcool e o etanol. Iniciativas elétricas também já são realizadas no país desde 2010, com parcerias com empresas como a Itaipú, geradora de energia limpa.

Embora a vinda dos veículos elétricos seja o assunto do momento no cenário internacional, ainda há quem pense que as montadoras querem veículos elétricos somente na Europa e não no Brasil

Para a vice-presidente de pesados da ABVE – Associação Brasileira do Veículo Elétrico, Ieda Oliveira, um exemplo tem ocorrido com o ônibus elétrico no Brasil. Segundo a executiva, a entidade tem verificado uma pressão por parte da indústria de veículos pesados no País para atrasar a implantação de sistemas de transportes que contem com mais ônibus elétricos.

“A gente está mudando a tecnologia dos ônibus e você tem toda uma indústria instalada no país. Existe uma pressão muito forte para que isso não aconteça já, ou seja, que aconteça no tempo em que essa indústria esteja preparada para isso. Isso não facilita a entrada dos veículos elétricos”, explica a vice-presidente ao Diário do Transporte.

Se não for elétrico, nem conta! Veja a transmissão ao vivo da Paula Toco mostrando as novidades da IAA 2018 diretamente de Hanover/Alemanha.

 

Por Pietra Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados