domingo, junho 13, 2021

Empresa perde concessão de rodovia por descumprimento de contrato

Na última quarta-feira (16), o governo federal declarou a decadência da concessão do trecho de 624,8 km da BR 153, entre Anápolis (GO) e Aliança do Tocantins (TO), que era administrado pela Galvão 153. Isso significa que a empresa perdeu a concessão do trecho, que agora volta a ser administrado pela União. Isso ocorreu porque a concessionária descumpriu cláusulas contratuais. Essa é a primeira vez na história que o governo federal adota essa medida.

A BR 153 será novamente leiloada, o que adia ainda mais as obras para resolver os problemas de infraestrutura na rodovia, que faz parte da ligação de Brasília (DF) com Palmas (TO) e Belém (PA), por onde circulam produtos da Zona Franca de Manaus com destino às regiões Sul e Sudeste.  

O Pé na Estrada listou as 5 piores rodovias pedagiadas e a BR 153 está na 4º posição – clique para conferir.

A rodovia foi leiloada ainda no governo Dilma Rousseff e arrematada pela Galvão Engenharia. O contrato de concessão foi assinado em setembro de 2014. Mas a empresa não conseguiu executar os investimentos previstos, que deveriam chegar a R$ 4,3 bilhões em 30 anos, sendo R$ 2,7 bilhões (62,8%) nos primeiros cinco anos, dos quais R$ 1,5 bilhão foram destinados à obras de duplicação.

Um relatório da Agência Nacional de Transportes Terrestres de junho de 2016, apontou que todas as obras iniciadas pela concessionária estavam paralisadas, aguardando pedido de prorrogação contratual e liberação de empréstimos pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Somente o Plano de Segurança Rodoviária permanecia em execução.

 

Adaptado de Agência CNT de Notícias

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados