sábado, julho 24, 2021

Governo Federal conclui pavimentação de trecho da BR-230/PA

O Governo Federal concluiu a pavimentação do trecho paraense da BR-230/PA (Transamazônica), entre as cidades de Itupiranga e Novo Repartimento. As obras no segmento de 102 quilômetros da rodovia estavam paradas desde 2013. As equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) retomaram as intervenções em 2019, concluindo 56 quilômetros do trecho. Já a assinatura da ordem de serviço da ponte permitirá a elaboração do projeto básico da obra, que tem início previsto para 2022.

Participaram da cerimônia que marcou a conclusão da pavimentação do trecho da BR-230/PA o presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e o diretor-geral do Departamento Nacional de Transportes (DNIT), general Santos Filho. No evento, também foi assinada a ordem de serviço para início das obras da ponte sobre o Rio Xingu, cuja travessia é feita por balsas. O valor total das obras é de R$ 428,6 milhões e afirma o compromisso do Governo Federal em concluir obras inacabadas e investir na integração da Região Norte.

A entrega deste empreendimento faz parte do pacote de obras anunciado pelo MInfra para o segundo semestre deste ano e que acabou sendo concluída antecipadamente. A obra de integração regional vai possibilitar a conexão do interior do Pará com os grandes centros e trazer melhores condições para o escoamento da produção regional, como madeira e cacau, além de reduzir o tempo de viagem e do valor do frete. A expectativa é que revitalização da via beneficiará cerca de 500 mil pessoas no interior do Pará.

“Mais um trecho da Transamazônica está sendo entregue. Muita gente achava que não seria possível pavimentar, e talvez por isso a obra tenha sido abandonada e [antes de ser retomada pelo governo Bolsonaro] estava parada desde 2013. Mas não vamos parar aqui, vamos seguir em frente, fazer novos trechos e asfaltar a Transamazônica. Por aqui, vai passar a prosperidade”, assegurou o ministro Tarcísio na cerimônia. 

Trecho que recebeu pavimentação da BR-230/PA
Trecho que recebeu pavimentação da BR-230/PA
Fotos: Ricardo Botelho/MInfra

RIO XINGU 

Outro importante anúncio para a região Norte foi a assinatura da ordem de serviço de R$ 202 milhões para as obras da ponte sobre o Rio Xingu. Segundo o governo, serão beneficiadas cerca de 300 mil pessoas, que dependem de balsas para a travessia, trazendo mais economia, rapidez e segurança no percurso. A primeira etapa das obras consistirá na elaboração do projeto da ponte. O canal de navegação será de 28 metros, medida a partir do nível máximo do rio. O vão navegável terá 320 metros de largura e foi estabelecido para uma lâmina d’água de pelo menos seis metros em relação ao nível mínimo do rio.

Concluído e aprovado, a expectativa é que sua construção tenha início em 2022, com prazo estimado de execução de dois anos. A obra será importante para a ligação das regiões Tapajós, Xingu e Carajás, além de passar por cidades como Santarém, Altamira e Marabá. A região se destaca pela produção de cacau, de soja, de gado, de minérios e outras atividades com impacto direto no Produto Interno Bruto (PIB) nacional.

Concessão da Rio-Governador Valadares

A aprovação pelo Ministério da Infraestrutura do projeto da concessão de trechos das rodovias BR-116/493/495/RJ/MG foi publicada na edição desta segunda-feira (21) do Diário Oficial da União (DOU). Apresentado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), ele visa à exploração de 724,90 quilômetros da extensão entre Rio de Janeiro e Governador Valadares e foi enviado ao Tribunal de Contas da União (TCU) para análise.

A rodovia é a única que dá acesso à região dos Lagos do Norte fluminense, permitindo o contorno da Baía de Guanabara, e liga o estado às regiões Norte e Nordeste do país. “Oferecendo investimentos e melhorando a condição das vias, vamos garantir menor tempo de viagem e redução no custo logístico”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Estão previstos R$ 9,01 bilhões em investimentos e R$ 8,27 bilhões em custos operacionais. O contrato de concessão prevê a exploração por 30 anos de serviços de infraestrutura e de recuperação, conservação, manutenção e melhorias na capacidade das rodovias. Além disso, estão previstos 309 quilômetros de duplicação e 245 quilômetros de faixas adicionas; duas áreas de descanso para caminhoneiros, os pontos de parada e descanso (PPD); cerca de 65 passarelas de pedestres; e 123 dispositivos e intercessões, novos e remodelados.

Acompanhe o andamento de outros projetos de lei e afins que estão correndo em Brasília em nosso boletim Tá Rodando em Brasília.

 

Fonte: Assessoria Especial de Comunicação – Ministério da Infraestrutura

1 COMENTÁRIO

  1. Boa tarde muito bom o que eles estão fazendo maravilhoso estava precisando agora é só esperar o resultado Deus abençoe a todos vocês grandemente e tenham um ótimo dia cheio de paz alegria e muitas saúde e felicidade para todos vocês

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados