quinta-feira, janeiro 27, 2022

Governo projeta alto número de concessões rodoviárias para o ano de 2022

As primeiras desestatizações portuárias do país, os leilões dos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont, além de mais de 13 mil quilômetros de rodovias à iniciativa privada, fazem parte das previsões para 2022 do programa de concessões do governo federal.

Nesse sentido, pelo menos 50 novas concessões são esperadas para o próximo ano, com ativos disponíveis em todos os modos de transportes. A meta é de R$ 260 bilhões contratados em quatro anos de Governo.

O planejamento em relação às concessões rodoviárias

O planejamento em relação as concessões rodoviárias
Imagem: PNE

Em relação às rodovias, o portfólio do Ministério da Infraestrutura prevê a transferência de mais de 13 mil quilômetros de pistas para a iniciativa privada durante 2022. Dessa forma, o governo espera gerar mais de R$ 108 bilhões em investimentos para o setor. Parte deste montante está sendo estruturada pela pasta em parceria com o BNDES para futuros projetos de concessão.

Além disso, um dos leilões mais aguardados envolve os seis lotes rodoviários no Paraná, que somam mais de R$ 44 bilhões em aportes privados. Em suma, o projeto desenvolvido busca garantir tarifas de pedágio acessíveis à população e melhorias na malha rodoviária no estado. Por fim, vale destacar que mais de 1,7 mil quilômetros de pistas deverão ser duplicadas no estado.

Da mesma forma, outros projetos rodoviários já se encontram em estágio avançados para irem a leilão. Em outras palavras, projetos como a BR-381/262/MG/ES, com extensão de mais de 670 quilômetros e aporte privado de cerca de R$ 7,3 bilhões; e das BR-116/493/465/RJ/MG, na ligação entre Rio de Janeiro e Governador Valadares (MG), com investimentos de mais de R$ 9 bilhões em 726 quilômetros de pistas já estão prontos.

Além disso, a pasta também avança para a realização dos leilões da BR-040/495/MG/RJ, BR-040/DF/GO/MG e de quatro lotes no Centro-Norte, que atravessam os estados de Goiás, Mato Grosso e Rondônia.

O que afirma o governo?

De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, o governo caminhou em termos de estruturação de projetos ao longo desses anos. Ele ainda ressalta que o planejamento das concessões já vem acontecendo há algum tempo:

“Muitos projetos que irão para leilão no ano que vem não são projetos que estão começando do zero, são projetos que já estão estruturados, já passaram por consulta pública, e já estão no Tribunal de Contas da União”.

Veja Também: IPVA em São Paulo fica 22% mais caro em 2022; veja datas para pagamento e descontos

 

Por Daniel Santana com informações do Ministério da Infraestrutura

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados