segunda-feira, setembro 20, 2021

Grupos de caminhoneiros seguem pedindo intervenção no STF, Bolsonaro afirma que nunca teve intenção de agredir poderes

Após três dias de protestos, grupos de caminhoneiros seguem mobilizados, fechando rodovias pelo Brasil, em apoio ao presidente e pedindo destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Ao mesmo tempo, Jair Bolsonaro publica carta afirmando que nunca teve “nenhuma intenção de agredir quaisquer Poderes”.

Os caminhoneiros

Como já havíamos noticiado no começo da manhã, alguns caminhoneiros foram chamados para conversar com o presidente na tentativa de desbloquear, de forma pacífica, as rodovias.

Considerando que os líderes mais conhecidos da categoria não estavam na manifestação, também não ficou claro quem eram os participantes da reunião. Motoristas identificados como Francisco Dalmora Burgardt, QRA Chicão Caminhoneiro, e Cleomar Araujo gravaram um vídeo ao lado de Eduardo Araújo, músico que, juntamente com Sérgio Reis, convocou a categoria para as paralisações do 7 de setembro, em que afirmaram que conversaram com Onyx Lorenzoni e receberam a promessa de ser recebidos pelo presidente, além de ser instruídos a entregar o documento com suas reivindicações para o Senado.

No mesmo vídeo, divulgado mais cedo, os motoristas afirmaram que suas exigências para o fim da paralisação eram a destituição dos ministros do STF e o chamado voto auditável, que seria o voto impresso.

Bolsonaro afirma que nunca teve intenção de agredir poderes, caminhoneiros seguem parados pedindo intervenção no STF
Bolsonaro afirma que nunca teve intenção de agredir poderes, caminhoneiros seguem parados pedindo intervenção no STF
Imagem recebida por Whatsapp

Segundo a Folha de São Paulo, os caminhoneiros afirmaram que, em contato com o presidente, Bolsonaro não pediu a desmobilização da categoria.

Ao mesmo tempo, outro caminhoneiro envolvido nas manifestações, Zé Trovão, publicou um vídeo onde diz que seu paradeiro foi descoberto e que estava a ponto de ser preso no México. Ele tem um mandado de prisão em aberto, expedido pelo STF a pedido da PGR. O caminhoneiro já mostrava, em vídeos anteriores, preocupação com seu futuro e com a possibilidade de não ver mais sua família. Ele segue foragido e pedindo para que os bloqueios sigam acontecendo.

Muitos pontos já foram desmobilizados pela Polícia Federal. Poucos trechos ainda bloqueiam a passagens de caminhões. Em outros, as manifestações acontecem apenas às margens das rodovias e em postos.

O presidente

O presidente Jair Bolsonaro sempre contou com o apoio da categoria de motoristas. Ele esteve presente nas paralisações de 2015 e 2018 e fez chamados para que caminhoneiros mostrassem seu apoio nas manifestações de 7 de setembro. Entretanto, desde a noite do dia 8, já pedia o fim dos bloqueios.

Nesta tarde do dia 9, o presidente publicou uma carta aberta afirmando:

“Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.”

Afirmou ainda que suas palavras “decorrem do calor do momento”. Com essas declarações, dadas após uma reunião com o ex-presidente Michel Temer, o presidente não busca o afastamento de nenhum ministro do STF, e sim uma aproximação com os demais poderes.

Já em relação ao movimento dos caminhoneiros, nem o governo nem o Ministério da Infraestrutura publicaram nenhuma nota oficial até o momento.

Por Paula Toco

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados