sexta-feira, janeiro 15, 2021

Melhorias em estradas reduzem frete agrícola em 11%

- Publicidade -

O setor agrícola segue aquecido apesar da pandemia, como mostram as vendas de máquinas agrícolas do último mês. Segundo balanço divulgado pelo Ministério da Infraestrutura nesta segunda-feira, 14, melhorias em estradas e obras de pavimentação resultaram em uma redução média de 11% no valor do frete agrícola. A informação tem base nos estudos da Empresa de Planejamento e Logística (EPL).

br 116 no ceara depois
Melhorias em estradas reduz frete agrícola | Trecho da BR 116 depois das obras no Ceará | Imagem: Dnit

 

Concessões

Segundo o balanço, houve a ampliação de vários aeroportos. Em especial os de Foz do Iguaçu (PR), Fortaleza (CE) e Campo Grande (MS). Além disso um novo terminal de embarque foi concluído no aeroporto de Navegantes (SC). A pasta acrescenta ter entregue também o Cais de Atalaia no Porto de Vitória (ES), seis portos de pequeno porte na região amazônica, além de ter feito a dragagem do Porto de Rio Grande.

O ano de 2020 contabilizará, ao seu final, a concessão de 12 ativos de infraestrutura, entre nove leilões e três inéditas renovações antecipadas. “

Estão previstos, ainda para 2020, os leilões de arrendamento dos terminais portuários PAR12 (Paraná), ATU12, ATU18 (Bahia) e MAC10 (Alagoas) – o que deve ocorrer na próxima sexta-feira, 18. A expectativa do governo é de que esses empreendimentos resultem em cerca de R$ 31 bilhões em investimentos feitos pelo setor privado.

 

BR do Mar

A aprovação pela Câmara dos Deputados do Projeto de Lei 4.199– que institui o BR do Mar, programa do governo que busca aumentar a oferta e reduzir custos para a cabotage é tida como algo positivo para o setor portuário. O projeto ainda está sendo analisado pelo Senado Federal.

 

Previsões para 2021

Para 2021, o Ministério da Infraestrutura planeja conceder 52 ativos à iniciativa privada. A expectativa é de que, por meio de concessões, privatizações e renovações, R$ 137,5 bilhões sejam investidos em infraestrutura no país; e que quase R$ 3 bilhões sejam obtidos por meio de outorgas.

Entre as concessões previstas, há as de 23 aeroportos; 17 terminais portuários; duas ferrovias (FIOL e Ferrogrão) e uma renovação antecipada – além de onze lotes de rodovias e da “desestatização” da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa).

No setor ferroviário, o destaque do ministério é a concessão do primeiro trecho da Ferrovia Oeste-Leste (FIOL), que vai ligar Caetité, na Bahia, ao Porto de Ilhéus; e a Ferrogrão, ligando a produção do norte do Mato Grosso aos portos de Miritituba, no Pará.

 

Adaptado de Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados