Uma das causas que o Pé na Estrada sempre defendeu foi que o CFC (Centro de Formação de Condutores) deveria dar, pelo menos, uma ideia do funcionamento dos outros meios de locomoção para quem está tirando carta. Está tirando carta B? Não importa, tem que saber o mínimo do funcionamento de uma moto, de um caminhão, de um ônibus e de uma bicicleta. Só assim os agentes do trânsito têm mais chances de se entenderem.

É comum que motoristas de caminhão e ônibus reclamem que os carros pequenos não os respeitam, fazem ultrapassagens perigosas, entram na frente e freiam, sem saber que um veículo grande leva mais tempo pra parar, fazem curva por dentro e tantas outras situações. Mas e o motorista profissional, sabe como funciona uma bicicleta? Quão estável ela é? O que acontece com ela quando passa um veículo grande ou rápido ao seu lado? Se não sabe com certeza essas respostas, pode ser que esteja dificultando a vida de ciclistas pelo caminho.

Exatamente para seus motoristas entendam o comportamento da bicicleta e com isso diminuam as chances de acidentes entre eles é que algumas empresas de ônibus estão colocando seus profissionais no lugar do ciclista para treinamento. Empresas de Recife, Florianópolis e Porto Alegre já realizaram o treinamento e estão satisfeitas. Funciona assim: os motoristas montam em bicicletas estáticas, ou seja, que não caem, e seus colegas passam com o ônibus perto deles, buzinando. A experiência tem feito muitos refletirem sobre sua forma de passar pelos ciclistas.

Importante salientar que a lei obriga o motorista a manter 1,5m de distância da bicicleta e também a diminuir a velocidade ao ultrapassar uma.

Art. 201. Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta:
Infração – média;

Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:
(…)
XIII – ao ultrapassar ciclista:
Infração – grave;

Clique neste link e veja os vídeos do treinamento, as opiniões de quem participou e mais informações sobre a ação em cada empresa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here