quinta-feira, setembro 16, 2021

Para fugir do roubo de cargas, empresa inaugura rota ferroviária que liga Jundiaí e Rio

O roubo de cargas é um problema enfrentado por motoristas e transportadoras. Para fugir desse tipo de crime, Contrail, responsável pelo Terminal Intermodal de Jundiaí (TIJU), acaba de inaugurar uma nova rota ferroviária de cargas, ligando o Interior de São Paulo ao Rio de Janeiro.

rota_ferroviaria_destaque

Ver também: Caminhos para combate e prevenção de roubo de cargas

O Brasil é mais perigoso para cargas que países em guerra, como a Ucrânia por exemplo. Todo dia chegam relatos de caminhoneiros que foram vítimas, ficaram sob mira de armas e depois ainda ficaram bloqueados pela gerenciadora por conta do ocorrido.

Só em 2016, segundo a Firjan, foram mais de 22 mil ocorrências, um aumento de 22% em relação a 2015. Os roubos geraram um prejuízo de R$ 1,4 bilhão no ano. Sem falar no prejuízo humano dos que passam pelo trauma de estarem ao volante no momento da ação.

A criminalidade nas estradas foi um dos fatores que motivou a Contrail a estabelecer este novo trecho para transporte de cargas. Outro fator foi a Lei 13.703, que institui a tabela mínima de frete. Para a empresa, uma operação ferroviária nesse cenário poderá aumentar a capacidade logística do transporte com melhor nível de segurança.

 

Linha ferroviária

ferrograo
Imagem: CNT

A infraestrutura ferroviária de Jundiaí até o Rio de Janeiro já existia, mas era operada somente para cargas a granel e não-industrializadas. Agora, em parceria com a MRS Logística, a Contrail passa a atender clientes com produtos industrializados.

“A ferrovia se tornou uma opção mais competitiva e mais atrativa em relação ao transporte rodoviário com a redução de custos e aumento da capacidade de transporte”, explicou o gerente comercial da Contrail Diego Bueno.

Ainda sobre a questão segurança, com o transporte ferroviário, as empresas conseguem também diminuir o valor do seguro de carga. “Quando mostramos para a seguradora que o transporte da carga será ferroviário, conseguimos baratear o valor do seguro”, comentou Diego. “Os clientes apenas precisam se planejar para o aumento do transit time”, completou.

Agora, a Contrail passa a atender desde fluxo de mercado interno e também abre uma nova opção para importação e exportação via Portos localizados no Rio de Janeiro. “Antes a região de Jundiaí era atendida apenas pelo Porto de Santos nos fluxos de importação e exportação. Agora a região conta com mais esta opção para atendimento via Portos localizados no Rio de Janeiro”, explicou Diego.

Entre os benefícios desta nova rota estão a segurança e a possibilidade de transportar um volume maior de carga, uma vez que um trem pode levar até 42 contêineres de 40 pés, por viagem, em cada trecho.

 

E você parceiro, o que acha dessa novidade?

Leia também: Logística do roubo de cargas é mais eficiente que de muitas empresas

 

Por Pietra Alcântara com informações da Tribuna de Jundiaí

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados