terça-feira, junho 22, 2021

Peso por eixo: existe modo mais ágil de pesar o bruto?

O palco do momento é o trecho entre Marabá e Ipixuma, no Pará. No tapetão, uma fila de caminhões que aguardam para passar na pesagem. Por que o acumulo de veículos na hora de pesar o bruto? Segundo o motorista carreteiro Wesller Lancastter de Lima, de Tucumã no Pará, o que causa a lentidão do processo é a pesagem por eixo.

Assista ao vídeo: Peso bruto total x peso por eixo – qual a medição correta?

pesar o bruto
Wesller Lancastter de Lima registrou a fila de caminhões para a pesagem. | Imagem: Arquivo pessoal

Mas será que existe modo mais ágil de pesar o caminhão? Continue lendo e venha destrinchar o assunto com a gente.

 

Prejuízos e atrasos ao pesar o bruto

No vídeo enviado por Wesller, é possível ver uma longa fila de caminhões. O processo de pesar cada cargueiro por eixo exige certo tempo, o que pode causar acumulo de veículos, como é possível ver no vídeo.

A pesagem por eixo já entrou em discussão outras vezes no passado. Por exemplo, em junho de 2020, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, declarou ser a favor do fim da pesagem por eixo. O ministro já havia se posicionado a favor da pesagem por eixo, porém na ocasião decidiu mudar e apoiar o fim do modelo de pesagem.

Já em janeiro de 2021, Freitas afirmou em uma live com o presidente Jair Bolsonaro que está finalizando a revisão da norma de pesagem para caminhões, com uma nova metodologia.

“Estamos revisando a norma de pesagem, pra ela onerar menos o caminhoneiro, pra gente ter menos multa em função disso e ser mais fácil. Então, acabando com o peso por eixo em veículos até 50 toneladas, aumentando a tolerância nos veículos que vão carregar mais. Em breve, essa norma vai estar publicada”, explica ele. As informações são do UOL.

 

Fiscalização mais ágil

A Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) já se posicionou a favor da pesagem em movimento, uma alternativa para que a pesagem seja feita com menos custos e menos tempo.

Em 2019, um novo sistema de pesagem começou a ser testado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), incluindo dois modelos para a fiscalização.

Um deles era a pesagem em movimento, que usa sensores e desobriga o motorista a passar no posto. Outra alternativa era a fiscalização remota, em que o agente fiscal não está presente fisicamente no local. Ambas não consideram o peso total do caminhão e sim o peso por eixo.

Em movimento, a pesagem seria contínua, 24 horas por dia. Não haveria mais balanças fechadas, como acontece hoje.

O repórter Jaime Alves falou sobre o assunto em uma matéria do Pé na Estrada. Relembre:

Se já é possível pesar o caminhão de uma maneira mais ágil e se autoridades da área demonstram que são a favor da medida, o que falta para colocar a pesagem em movimento em prática?

Enquanto isso, muitos estradeiros ainda sofrem com a demora na pesagem, que acarreta em atrasos e prejuízos.

 

Por Pietra Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados