O nosso repórter, Jaime Alves, repercute com motorista autônomo mais um aumento do diesel. Aperte o play e ouça as dificuldades do estradeiro que anuncia: vai parar o caminhão.

3 COMENTÁRIOS

  1. Falam tanto da tabela de frete da ANTT. Pergunto pq essa tabela não acompanha os aumentos do diesel. Se o diesel hj representa mais de 50% do custo do transporte, o frete precisa ser atualizado sempre que seu custo sofrer alteração.

  2. Os autônomos estão perdendo seus bens, alguns com o caminhão parado, vendendo caminhão, trabalhando e sem condições para repor até os pneus, Brasil tem poços de petróleo e pagamos esse absurdo, pedágios chamados de máquinas de fazer dinheiro, isso porque pagamos os impostos, licenciamento, também é culpa das transportadoras que aproveitam da demanda de caminhão, tem motorista que nem faz a conta de quanto vai ganhar, só quer saber de carregar, sabe que não vai lucrar, mas pega a carga de retorno com preço baixo para andar a mesma distância voltando carregado gastando a mesma coisa, até mesmo com uma carga que pode trazer grande prejuízo na hora de descarregar, a fiscalização existe para peso, deveriam fiscalizar os valores dos fretes, tem tabela mas não funciona, os motoristas vão parar um por vez, pois não está cobrindo as despesas, muito já estão trabalhando de empregado, conheço empresa recebem o frete em valor x e passa para ao motorista no valor mais baixo, isso porque a empresa já vendeu seu produto, o que adianta ficarmos questionando? Ninguém tem união, não tem quem fiscaliza os valores de frete( tabela), tudo subiu e o frete está mesma coisa, o ano passado carregava a 130$ a tonelada e o diesel era em torno de 3.30$, hoje o pessoal está carregando a mesma carga por 120$ e pagando até 5.09$ no diesel,
    Até quando vamos conseguir trabalhar?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui