terça-feira, junho 22, 2021

Polícia prende 20 suspeitos em operação contra roubo de cargas no Rio de Janeiro

Policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) fazem operação, na manhã desta quarta-feira, 26, para cumprir 37 mandados de prisão de traficantes envolvidos no roubo de cargas no Rio de Janeiro. Segundo a DRFC, 20 suspeitos já foram presos, acusados de latrocínio — roubo seguido de morte — e venda ilegal de armas.

O Ministério Público estadual, por meio da 6ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal também realiza a operação para cumprir 37 mandados de prisão preventiva contra uma quadrilha de traficantes especializada em roubos de cargas. Em Senador Camará e Na Vila Aliança, ambas na Zona Oeste do Rio de Janeiro, houve registros de tiros no início da operação.

Confira também: Penas para roubo de cargas podem se tornar mais pesadas

Segundo a denúncia, os criminosos praticam roubos de cargas de veículos de transporte para consolidar o poder e financiar o tráfico de drogas. Para executar os crimes, utilizam armamento de guerra como fuzis, pistolas e granadas. Eles se beneficiam do controle territorial de comunidades carentes para fazer o transbordo das mercadorias e a revenda das cargas.

Ainda de acordo com a denúncia, o grupo recebe apoio bélico e financeiro de facções criminosas do Rio e de São Paulo.

Para ter sucesso nos roubos, fazem uso de uniformes policiais, bloqueadores de GPS e contam com “batedores” para prevenir abordagem policial. Também atuam em parceira com motoristas de empresas de transporte de cargas, que fornecem informações privilegiadas sobre os deslocamentos.

Prevenir esse tipo de crime tem sido o objetivo de transportadoras e empresas do setor de logística. Mas o que pode ser feito? Veja em “Caminhos para combate e prevenção de roubo de cargas”.

Locais

O grupo consolidou-se na localidade conhecida como Cidade Alta, no bairro de Cordovil, mas atua em associação com traficantes de diversas outras áreas, entre elas a comunidade do Muquiço, em Marechal Hermes; a Vila Aliança, em Bangu; a comunidade da Quitanda, no Complexo da Pedreira; no Complexo da Maré e até com ramificações em São Gonçalo e na Região dos Lagos.

Entre os 37 denunciados há chefes do tráfico, assaltantes, seguranças privados, motoristas e batedores. A denúncia é resultado de 10 meses de investigação conduzida em parceria pela 6ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal e pela Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC). Os acusados responderão na Justiça pelos crimes de associação para o tráfico e financiamento do tráfico por meio dos roubos de carga.

Leia também: Frutas com pinos são usadas como armadilha para roubo de cargas

 

Adaptado de Extra Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Você pode gostar
posts relacionados