sábado, outubro 16, 2021

Rodovia que liga Sinop a Miritituba, BR-163 receberá R$ 2 bilhões para melhorias com nova concessão

Principal corredor logístico para o escoamento de grãos do Centro-Oeste, a BR-163 receberá cerca de R$ 2 bilhões em investimentos após a concessão da rodovia para a iniciativa privada. O trecho que liga Sinop, no Mato Grosso, e Miritituba, no Pará, será administrado nos próximos 10 anos pelo consórcio Via Brasil 163.

A Via Brasil será responsável pelos 1.009,52 quilômetros do corredor. De acordo com o portal Globo Rural, o grupo ofereceu um pedágio de R$ 7,867 por eixo a cada 100 quilômetros, ficando pouco mais de 8% abaixo do valor máximo previsto no edital. Foi a única oferta do leilão, realizado pelo Ministério da Infraestrutura.

“É uma das estradas mais importantes do Brasil pelo poder que ela tem de transformar a logística. Cuidem dessa rodovia. Essa é a menina dos olhos. De todos os leilões que já realizamos, esse é o que tem a maior carga emocional. Eu gosto dessa rodovia”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas.  

Trecho da BR-163
Trecho da BR-163

Melhorias na BR-163

Segundo o Ministério da Infraestrutura, as principais melhorias na BR-163 devem ocorrer até o quinto ano da concessão, em 2026, como a implantação de faixas adicionais, vias marginais e acostamentos, e, principalmente, acessos definitivos aos terminais portuários de Miritituba, Santarenzinho e Itapacurá, agilizando o transbordo da carga na hidrovia de Tapajós.

Soma-se ainda a construção de dois novos pontos de parada e descanso, destinado aos profissionais do transporte rodoviário, desconto de 5% no pedágio para usuários de dispositivos de pagamento eletrônico (tag) e pagamento de tarifa na praça no município de Trairão (PA) somente para veículos comerciais acima de quatro eixos.

Como era e como está a BR-163

Há quatro anos, a rodovia mais importante para o agronegócio brasileiro era considerada intrafegável. A falta de pavimentação no trecho inviabilizava o acesso de caminhões na região. Caminhoneiros chegaram a relatar que demoravam até 10 dias para concluir uma viagem na BR-163. 

No tempo seco, os estradeiros sofriam com as nuvens de poeiras que se formavam no ar com a passagem dos pesados. Em época de chuva, os atoleiros davam grande dor de cabeça aos trabalhadores, causando enormes filas de caminhões parados. Confira a reportagem feita pelo Pé na Estrada em 2018:

Em 2019, atendendo à muitas reivindicações de caminhoneiros, transportadores e embarcadores, o Governo Federal decidiu asfaltar parte do trecho. Foram investidos cerca de R$ 158 milhões na pavimentação de 51 km da BR-163, localizados entre os municípios de Moraes Almeida e Novo Progresso, no Pará, que era o ponto mais crítico da rota.

O Departamento Nacional de Infraestrutura do Transporte (DNIT) estima que mais de 6 mil caminhoneiros trafegam diariamente pela rodovia.

Apesar da melhora no asfalto, filas de caminhões e acidentes continuam

Apesar da pavimentação da BR-163, problemas antigos continuam acontecendo na rodovia, como é o caso das filas no Porto de Miritituba e acidentes graves e fatais com caminhoneiros.

São várias as causas para as intermináveis filas no porto de Miritituba, no Pará. A falta de um planejamento logístico e da fiscalização da Polícia Rodoviária Federal são alguns desses motivos.

O caminhoneiro Cláudio Alcântara, experiente na rota de Miritituba, em entrevista ao Pé na Estrada, deu a sua opinião sobre o porquê de tanta fila no acesso ao porto. Para ouvir o desabafo do estradeiro, é só clicar aqui.

Já os acidentes, em sua maioria, acontecem pela própria imprudência do motorista, seja fazendo ultrapassagens proibidas, seja por estar ao volante depois de muitas horas sem descanso. Nossa equipe recebeu diversos vídeos e testemunhos de quem esteve na BR-163 desde a nova pavimentação. Assista a reportagem:

Os demais leilões previstos para este ano

Além do leilão da BR-163 concedido para o consórcio Via Brasil, formado pelas empresas Conasa infraestrutura SA, Zeta Infraestrutura SA, Construtora Rocha Cavalcante LTDA, Engenharia de Materiais LTDA e M4 Investimentos e Participações LTDA, o Ministério da Infraestrutura prevê a concessão de mais duas rodovias à iniciativa privada ainda este ano:

A Nova Dutra (BR-116/101/SP/RJ) e a BR-381/262/MG/ES que liga Belo Horizonte a Governador Valadares, em Minas Gerais e a Vales, no Espírito Santo. O Ministério acredita que os dois leilões juntos irão trazer mais de R$ 21 bilhões em investimentos para o setor rodoviário.

 

Por Wellington Nascimento com informações do Ministério da Infraestrutura

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados