terça-feira, dezembro 7, 2021

São Paulo e Rio de Janeiro representam quase 80% dos roubos de cargas no Brasil

Dados da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) apontam que o crime por roubos de cargas está em queda no Brasil, mas continua em alta em São Paulo. Juntamente com o Rio de Janeiro, os estados são responsáveis por cerca de 77% do total de crimes deste tipo cometidos no País.

Queda de mais de 50% nos crimes por roubos de cargas 

A análise da associação foi feita de 2015 a 2020. Em 2017, ano considerado o ápice dos crimes relacionados aos roubos de cargas, foram 25.970 ocorrências registradas em rodovias e áreas urbanas. Desde então, os crimes têm apresentado queda. Em 2020, chegou a 14.159, baixa de 54,67% se comparado a 2017. Veja no gráfico a seguir:

Gráfico mostra os dados de roubos de cargas no Brasil entre 2015 e 2020
Gráfico mostra os dados de roubos de cargas no Brasil entre 2015 e 2020

Em relação a 2020, São Paulo respondeu por 5.918 crimes desta natureza, enquanto o Rio de Janeiro apresentou 4.986 crimes. Isto representa 77,01% de todos os roubos de cargas do País no ano.

De acordo com a NTC&Logística, os prejuízos computados em 2020 ao setor somam R$ 1,2 bilhão. Para este ano, o Ministério da Justiça divulgou os dados até maio, registrando 5.628 roubos de cargas. A informação é do Estadão.

Veja também: Como funciona a logística do roubo de cargas?

Apesar da queda nacional, São Paulo apresenta alta nos índices 

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo mostram que entre janeiro e agosto deste ano ocorreram 4.131 crimes de roubos de cargas no estado. Este índice mostra uma alta de 4,71% em relação ao mesmo período em 2020, que registrou 3.812 roubos.

Segundo o Estadão, dos 4.131 casos registrados, 1.909 aconteceram na capital, 1.273 na região metropolitana e 949 ocorreram no interior do Estado. 

De acordo com o Grupo Tracker, empresa especializada em rastreamento de veículos, São Paulo, Guarulhos e Jundiaí continuam no topo da lista dos assaltos. Estes dois últimos municípios concentram muitas empresas de transporte e centros de distribuição de mercadorias. Cubatão, Cajamar, Itaquaquecetuba, Osasco, São Bernardo do Campo e Embu das Artes subiram no ranking do roubo.

Rio de Janeiro tem queda, mas número de roubos é considerado alto

O Rio de Janeiro registrou queda de 37% nos roubos de carga em janeiro este ano na comparação com o mesmo mês em 2020. Os dados são do Instituto de Segurança Pública do estado. Mas apesar da queda, os números continuam altos.

Uma pesquisa da Firjan, que representa todas as indústrias do estado do Rio, revelou que o estado registrou uma média de 12 roubos de cargas por dia entre janeiro e maio deste ano. Em 2019, a média para o mesmo período era de 14 roubos diários. Segundo o levantamento, 98% dos casos acontecem na região metropolitana do estado.

Roubos de cargas nas regiões do Brasil

O último panorama de 2020 divulgado pela NTC&Logística revela que a região Sudeste representa 81,33% dos roubos de cargas no País. Logo em seguida vem a região Sul com 8,89%, Nordeste com 6,66%, Centro-Oeste com 1,91% e Norte com 1,21%.

Intensificação no combate ao crime

De acordo com o assessor de segurança da NTC&Logística, Paulo Roberto de Souza, em entrevista para o Estadão, São Paulo e Rio de Janeiro têm intensificado suas ações de combate ao crime nos últimos anos, apesar da alta registrada no território paulista.

Para ele, a redução está relacionada ao investimento das empresas em tecnologias e medidas de segurança em suas operações, o que possibilita uma resposta muito mais rápida e ativa em relação às tentativas de delito, e, também, ao trabalho dos órgãos de segurança pública, que têm atuado com mais rigor no combate aos delitos de roubos de cargas.

Veja mais: Quanto custa proteger carga e caminhão?

Locais em que há maior concentração de roubos

Para Paulo Roberto de Souza, assessor de segurança da NTC&Logística, as regiões localizadas perto das rodovias e que ficam até 30 km distantes da capital são as mais sensíveis aos roubos de carga. Isso porque geralmente são locais que concentram mais centros de distribuição e empresas de transporte.

Roubos de cargas no Brasil apresentam queda em comparação a 2017
A região Sudeste é responsável por 81,33% dos crimes de roubos de carga no Brasil

Apesar do roubo que acontece nas rodovias, onde estão as cargas de maior valor, este tipo de crime também acontece nas cidades. Souza faz a separação do perfil dos criminosos que agem nesses lugares.

“O roubo de cargas atrai dois perfis de criminosos. Aqueles de oportunidade que chegam na hora que a mercadoria está sendo entregue no estabelecimento. Geralmente são marginais especializados em roubos de perecíveis. Ou seja, cuja prova do crime desaparece horas depois. Como alimentos, cigarros e bebidas, por exemplo. Enquanto na rodovia age o crime organizado”, explica o assessor técnico da NTC ao Estadão.

Segundo o Grupo Tracker, os roubos, geralmente, são praticados pela manhã. Momento em que os veículos de carga saem dos embarcadores totalmente carregados. Assim, as quadrilhas especializadas mantêm o motorista em cárcere privado até que seus objetivos sejam concluídos.

Tipos de cargas mais roubadas

Os produtos mais visados pelos assaltantes, segundo a NTC&Logística, são: Produtos alimentícios, combustíveis, produtos farmacêuticos, autopeças, têxteis e confecções, cigarros, eletroeletrônicos, bebidas e defensivos agrícolas.

 

Por Wellington Nascimento com informações de Estadão e NTC&Logística

 

 

 

 

1 COMENTÁRIO

  1. No Rio de Janeiro os gargalos onde tem retenção, continua a ser os locais de abordagem dos caminhões!
    Entrada do Ceasa em Irajá, final da Rio x Teresópolis ( entrada do arco metropolitano e da Washington Luiz em Caxias), final da Washington Luiz entrada da av.Brasil ( pior local na minha opinião), trevo da Magé x Manilha ( atualmente o local com mais roubo no estado, principalmente a Vuc), saída da 393 para a O40 em Três Rios!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados