segunda-feira, outubro 18, 2021

Scania apresenta programa de manutenção Uptime que promete reduzir em 30% o tempo de parada

Perto de completar 64 anos de história no Brasil, na próxima sexta-feira, 2 de julho, a Scania apresentará o Programa de Manutenção Scania Premium Flexível Uptime, que promete reduzir em até 30% o tempo de parada dos caminhões nas concessionárias.

“São até 30% de redução comprovada da permanência nas oficinas, ou seja, mais horas para o caminhão faturar. Isso significa que, além de reduzir os custos, apoiará o aumento da receita da operação do transportador. A conectividade e a evolução das soluções de serviços que temos disponibilizado desde 2017, continua sendo a base de tudo”, disse Marcelo Montanha, diretor de Serviços da Scania do Brasil.

O Programa de Manutenção Scania (PMS) Uptime prevê menos paradas para manutenções e, quando precisar, paradas mais rápidas. Para isso, a marca conta com a ajuda da Control Tower (Torre de Controle em português), a central de controle de operações dos caminhões Scania. Ela atua na gestão ativa da eficiência do fluxo nas oficinas e dos processos de manutenção da montadora para que o veículo retorne à operação o mais rápido possível.

De acordo com a empresa, até o final de julho, todos os clientes do PMS Premium Flexível, plano anterior ao Uptime, terão a adição do Control Tower sem custo adicional.

Nova Geração de caminhões Scania
Imagem: Scania/Divulgação

O Programa de Manutenção Uptime da Scania mantém todos os serviços do PMS Premium Flexível, lançado na Fenatran 2019, como pacote de conectividade com avaliação em tempo real do motorista e manutenções preventivas e corretivas. O cliente paga apenas pela quilometragem rodada (se não rodou, não paga) .

Veja também: Fenatran é adiada para 2022 devido à pandemia

Apesar dos mesmos serviços, quem adquirir o Premium Flexível Uptime pode aumentar a cobertura de itens, com alguns que não estão incluídos no programa anterior, conforme explica Gustavo Andrade, gerente do Portfólio de Serviços da Scania do Brasil:

“O cliente poderá customizar a cobertura do plano, adicionando, por exemplo, as manutenções preditivas, baterias ou peças de acabamento do veículo. Dessa forma, o cliente ganha tempo no atendimento e sem necessidade de aprovações destes orçamentos, laudos técnicos e serviços na oficina usufruindo das vantagens dos preços acordados no PMS”.

Há também a modalidade Pay Per Use (pague o que usar) voltada mais para médias e grandes frotas com o preço ajustado ao custo real utilizado na manutenção, sem uma estimativa pré-combinada.

Caminhão a gás Scania
Caminhão a gás Scania – Imagem: Scania/Divulgação

Mercado em 2021

Segundo o balanço da montadora, houve um crescimento de venda de caminhões, serviços e motores nos primeiros meses deste ano. Entre março e maio, na categoria dos pesados, a Scania vendeu 4.986 caminhões no total. De acordo com Silvio Munhoz, diretor de Vendas de Soluções da Scania do Brasil, esse volume não era atingido desde 2013.

Outro mercado que segue forte para a empresa é o de caminhões a gás, com 150 unidades vendidas e com promessa de chegar até 200 unidades até o final do ano.

No segmento fora da estrada, a Scania projeta que 2021 será o melhor ano da comercialização destes produtos na história da marca no Brasil. Isso devido a força da mineração e aos preços do minério. A empresa ainda comenta que há uma demanda interessante que chega dos setores de cana e florestal pelas soluções a gás.

O único ponto negativo fica por conta dos ônibus, que continuam em queda sofrendo os impactos da pandemia. A expectativa é de uma melhora no último trimestre deste ano em razão da continuidade da vacinação.

Caminhões da Nova Geração Scania
Imagem: Scania/Divulgação

15 mil caminhões da Nova Geração

Segundo a Scania, após pouco mais de dois anos efetivos no mercado, a Nova Geração de caminhões da montadora teve cerca de 25 mil unidades emplacadas e quase 29 mil vendidas.

Dentre as características dos caminhões dessa geração, estão a tecnologia do motor de alta pressão, o Acelerador Inteligente e a economia de diesel.

Tecnologia do motor

Silvio Munhoz destaca um ponto importante dos caminhões da Nova Geração da marca: O motor.

“É imbatível a nossa tecnologia de alta pressão de injeção com múltiplos pontos (XPI com sistema Common Rail) para diminuir, consideravelmente, o consumo, e também as emissões. Além disso, nosso propulsor já está pronto para atender a próxima lei de emissões, Proconve P 8 ou Euro 6”.

Acelerador Inteligente

O Acelerador Inteligente, ou controle de aceleração, está disponível para todos os modelos da Nova Geração, inclusive os fora de estrada. Seu funcionamento está ligado a uma análise do peso do veículo, da posição do pedal de aceleração e deslocamento do modelo, para evitar acelerações bruscas e desperdício de combustível.

Dessa forma, o veículo é conduzido de forma mais confortável e econômica preservando outros componentes do trem de força e os freios. O sistema trabalha de forma automática e desativa quando o motorista pressiona o acelerador até o fundo (posição do Kickdown), entendendo que o condutor precisa de toda a capacidade de aceleração. Ao soltar o pedal, o sistema volta a controlar a aceleração.

Numa viagem com alta frequência de alternâncias de velocidade, tráfego intenso e em veículos não totalmente carregados ou vazios, o acelerador inteligente vai contribuir para uma maior economia de combustível, afirma a montadora. Quanto mais variações na rota maior será sua atuação automática. 

Cabine dos novos caminhões Scania
Imagem: Scania/Divulgação

Economia de diesel

Para a marca, a frota circulante de veículos da Nova Geração é um exemplo de eficiência energética em comparação com a geração anterior. Desde o início das entregas, no primeiro bimestre de 2019, até hoje, já deixaram de ser emitidas 420 mil toneladas de CO2, o equivalente ao trabalho de 2,5 milhões de árvores, além da redução de 160 milhões de litros de diesel, ou uma economia de R$ 560 milhões. 

A Scania afirma que os caminhões da Nova Geração geram uma economia de combustível de 20%, que são divididas em:

Motor Euro 5 com sistema de injeção de alta pressão (8%), Acelerador Inteligente (5%), Scania Actcruise, tecnologia para gravar rotas via GPS e aproveitar aclives e declives de maneira eficiente (3%), aerodinâmica externa da cabine (2%) e mais 2% das inovações da caixa de câmbio Scania Opticruise.

 

Por Wellington Nascimento com informações de Scania Assessoria

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados