domingo, setembro 20, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Startup cria cabines para dormir em rodovias e postos de gasolina

- Publicidade -

O Brasil assinou compromisso em 2011 junto a OMS e ONU para a redução de 50% da violência no trânsito. A conhecida Lei dos Caminhoneiros (13.103/2015) é uma das ações federais previstas para minimizar o índice de fatalidade nas estradas.

Nos últimos vinte anos foram 400 mil vidas perdidas e dois milhões de pessoas incapacitadas, gerando um custo econômico de R$ 12 bilhões aos brasileiros segundo o IPEA.

Diante deste cenário, a startup SleepBoll começa a investir na criação de cabines para dormir e cochilar nos pontos de paradas das rodovias, necessários ao cumprimento da nova legislação.

cabines
Cabine Sleepboll

O projeto atende postos de combustíveis e praças de pedágio, tendo o primeiro protótipo já instalado no Posto Buffon de Nova Santa Rita (RS), na BR 386, 4358. 

Há quatro anos da implementação da Lei dos Caminhoneiros, uma sequência de alterações relacionadas à jornada de trabalho do motorista profissional foram implementadas visando o avanço e a segurança do setor. Para o cumprimento prático das normas, fica um desafio à Federação, de acordo com o CEO da SleepBoll, Luciano Paixão:

“a cada cinco horas rodando na estrada, a parada para o descanso é obrigatória, de no mínimo meia hora. Nas rodovias, aonde estão estas instalações que obrigatoriamente devem acolher o motorista? Percebemos que a implantação dos ponto de parada até 2020, conforme prevê a Portaria 944/2015 do Ministério do Trabalho, requer uma força tarefa do governo no sentido de criar uma linha de crédito a longo prazo específica junto ao BNDES viabilizando o investimento do mercado privado nesta demanda gerada pela Lei”, explica.

Lembrando que no início de deste mês, a Câmara dos Deputados recebeu em audiência pública a Comissão de Viação e Transporte. Na sessão, deputados, representantes dos autônomos, representantes das transportadoras e do governo debateram questões relacionadas ao piso mínimo de frete, preço do diesel e outros assuntos do setor. O secretário executivo do ministério da Infraestrutura abriu sua fala destacando diversas ações do ministério para beneficiar os caminhoneiros, entre elas pontos de parada e renegociação de dívidas. Leia a reportagem completa.

A solução da SleepBoll é instalação do projeto IOT-B2B nos postos de combustíveis e pedágios nas rodovias brasileiras. São cabines de dormir no formato modular, com climatização e automação embarcados, podendo ser reservada online ou locada  diretamente no local. Elas estão em conformidade com o Plano Gerenciamento de Riscos (PGR).

cabines
Protótipo brasileiro do SleepBoll

“A utilização pelo caminhoneiro pode ser por minutos ou horas. O resultado para a sociedade é a inovação pela economia colaborativa, que elimina intermediários e desmonetiza os usuários finais, permitindo acesso direto pelo aplicativo (app.sleepboll.com.br). A limpeza, segurança e espaço, ficará a cargo do cedente que fará a cessão do local”, comenta Luciano Paixão.

Pontos de apoio na Europa

Enquanto no Brasil, governo e empresas buscam solucionar o problema de pontos de parada ao longo das rodovias, na Europa essas plataformas já existem há muito tempo.  Lá existe mais infraestrutura para suprir as necessidades de alimentação, banho, centro de compras, estacionamento e até entretenimento para o caminhoneiro. Assista ao vídeo e veja o exemplo de um dos maiores entroncamentos do continente.

 

Em junho próximo será realizada uma chamada para a captação conjunta de investidores por meio de financiamento coletivo para a aquisição e disponibilização das cabines. A plataforma vai administrar a logística da demanda com as gerenciadoras de riscos, transportadoras e convênio com os caminhoneiros autônomos, assim como viajantes e público em geral.

Além da falta de descanso adequado, não podemos esquecer que o uso de telefone celular ao volante, também é grande causador de mortes no trânsito, aumentando o número de multas aplicadas. 

No entanto, não está claro qual é o público alvo da acomodação, já que quem tem um cargueiro em bom estado pode usar a própria boleia para dormir, e quanto a quem não tem, esse motorista teria condições de arcar com os custos dessa hospedagem?

Você gostou da iniciativa? Acha que vai ajudar o motorista no dia a dia?

Por Valéria Paixão com informações da WH Comunicação 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados