terça-feira, setembro 28, 2021

Tanqueiros declaram estado de greve em MG

Nos últimos dias correram nas redes sociais áudios, vídeos e até mesmo arquivos – todos divulgando novas paralisações e sindicatos em estado de greve. Você recebeu alguma dessas mensagens? Nossa produção recebeu alguns destes avisos:

As mensagens se intensificaram após um anúncio de aumento de 14% no preço do diesel para refinarias. O anuncio partiu da Petrobras e foi publicado no dia 31 de agosto, sexta-feira.

A ANTT emitiu um comunicado no dia 1º de setembro informando que os valores da tabela mínima de frete serão reajustados de acordo com as alterações no preço do diesel. Clique aqui para ver a nota na íntegra. Detalhes sobre as alterações na tabela ainda não foram divulgados.

Afinal, vai haver paralisação ou não? Continue lendo e entenda o que é verdade e o que não é.

Greve dos tanqueiros

O Sindicato das Empresas Transportadoras de Combustíveis e Derivados de Petróleo de Minas Gerais, ou Sindtaque MG, divulgou que entra em “estado de greve” a partir desta segunda-feira, 3. Isso significa que os caminhoneiros continuam a trabalhar normalmente, porém sob o aviso de que uma paralisação pode acontecer a qualquer momento.

O sindicato ainda declara que no dia 11 de setembro promoverá uma reunião para discutir se deve ou não haver uma nova paralisação de caminhoneiros.

 

Greve geral

Circulam comunicados e mensagens de motoristas que prometem se organizar para fazer uma paralisação no dia 7 de setembro, próxima sexta-feira. Em Lorena, interior de São Paulo, autônomos estão se organizando para parar suas atividades, de acordo com informações recebidas via WhatsApp.

estado_de_greve
Paralisação de caminhões em Luziania, perto de Brasília. | Imagem: Adriano Machado.

Todos esses são casos isolados, ou seja, motoristas que não estão vinculados à lideranças que estão planejando suas próprias paralisações.

Falando em manifestações organizadas por entidades que representam os caminhoneiros, a única a se manifestar favorável a uma nova greve é a chamada União dos Caminhoneiros do Brasil, ou UDC. Porém, o Pé na Estrada não conseguiu entrar em contato com a associação para confirmar a veracidade das afirmações. A UDC não possui website e nem telefone disponível.

O comunicado da UDC virou notícia em importantes portais como a Folha de S. Paulo, Estadão e Correio Braziliense.

Representantes de associações como a Federação dos Caminhoneiros e a Federação dos Caminhoneiros Autônomos de São Paulo já declararam que não apoiam uma nova greve.

O presidente do Sindicato Interestadual dos Caminhoneiros, José Nathan, confirmou ao Estado de Minas que o clima está ruim entre os motoristas e que não se pode garantir que não vai haver um novo movimento.

Vamos aguardar os próximos dias para entender como cada órgão e entidade se posicionará diante dos fatos.

 

Por Pietra Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Inscreva-se nos nossos informativos

Você pode gostar
posts relacionados