BR_163_MTCom economia em crise, menos produção e, portanto, menos transporte de mercadorias. É o que comprova o índice ABCR de Atividade, que registrou queda geral de 1,8% em 2015, na comparação com 2014. No período, o fluxo de veículos pesados caiu 6% e o movimento de leves recuou 0,4%.

Na comparação de dezembro/15 com dezembro/14, houve queda de 3,9% no movimento geral, redução de 5,4% no fluxo de pesados e de 3,5% no de leves. A redução no último mês do ano, que normalmente tem volume maior de tráfego, demonstra a gravidade da crise.

Análise – “O resultado anual do Índice ABCR reflete exatamente nosso cenário de 2015: queda de consumo, de renda e de produção industrial e aumento na taxa de desemprego. A produção industrial, por exemplo, já acumula perda de 8,1% em 2015, nos dados até novembro. E, como já sabemos pelos dados históricos do índice ABCR, quando cai a produção, cai o movimento de caminhões nas estradas. O mesmo aconteceu com veículos leves, embora num ritmo menor. Temos, por exemplo, uma queda de renda média da ordem de 8% em 2015. Menor renda e mais desemprego também significam menos carros nas estradas”, analisa Rafael Bacciotti, economista da Tendências Consultoria.

O índice que mede o fluxo de veículos nas estradas concedidas à iniciativa privada é produzido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias em conjunto com a Tendências Consultoria Integrada.

Fonte: ABCR e Tendências

Por Jaime Alves com informações da ABCR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here