quinta-feira, agosto 13, 2020
- Publicidade -

Fim de uma era: última unidade do 1635 é fabricada pela Mercedes

- Publicidade -

A Mercedes-Benz produziu neste mês a última unidade do caminhão Atron 1635, em em sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP). Com isso, a montadora encerra uma era. O bicudo 1635 foi um dos modelos que ajudaram a construir e consolidar a presença da marca nas estradas do país.

Leia mais: Apesar da pandemia, Banco Paccar tem pouca inadimplência

1635
Fim de uma era: último bicudo 1635 é fabricado pela Mercedes | Imagem: Mercedes-Benz

“Como antecipamos na Fenatran do ano passado, a produção do Atron seria encerrada este ano, dentro de um processo natural de evolução tecnológica de nossa linha de caminhões”, explica Roberto Leoncini, vice-presidente de Vendas e Marketing Caminhões e Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

 

História

1635
Imagem: Mercedes-Benz

A linha de caminhões com cabina semiavançada, que seria denominada “Atron” a partir de 2012, começou a ser comercializada no Brasil em 1989, com os médios L 1214 e L 1218 e os semipesados L 1414, L 1418 e L 1618. Um ano depois, vieram os extrapesados LS 1935 e LS 1941 e vários outros modelos.

O extrapesado Atron 1635 foi lançado em fevereiro de 2012. Até o mês de maio de 2020, foram emplacadas mais de 4.200 unidades no país. “O Atron concluiu sua missão com êxito. Ele é o último representante de uma geração de caminhões com cabina semiavançada lançada há 31 anos e que deu um salto de qualidade, modernidade e eficiência no mercado brasileiro”, comenta o vice-presidente de vendas da montadora.

A região Sudeste é a que mais compra esse Mercedes-Benz: foram mais de 2.750 unidades nesse período. A maior preferência por estado é de Minas Gerais, com mais de 1.500 caminhões, seguido por São Paulo, com 650 unidades. “Em Minas Gerais, por exemplo, é o preferido dos caçambeiros, daí o expressivo volume histórico de emplacamentos no Estado”, afirma Leoncini.

 

O sucessor

axor
Imagem: Mercedes-Benz

O sucessor do 1635 é o extrapesado Axor, com os cavalos mecânicos Axor 2036 4×2 e 2536 6×2. Além disso, a Mercedes acaba de lançar também novas versões desses mesmos modelos.

“O Axor irá manter aquilo que os clientes já conhecem e aprovaram no Atron 1635, agregando ainda mais valor em qualidade, desempenho, economia, conforto e tecnologia. Temos certeza que os clientes logo perceberão esses ganhos, como aconteceu com o Atego em lugar de outros Atron desde 2016”, destaca Leoncini.

 

Novas versões customizadas 

axor
Imagem: Mercedes-Benz

Para atender a demandas específicas de clientes do Atron 1635, a Mercedes-Benz criou uma nova versão básica com cabina Leito Teto Baixo, banco pneumático standard, revestimento de vinil para o interior da cabina e para os bancos, preparação para instalação de rádio/toca CD, câmbio automatizado Mercedes Powershift G 280, eixo traseiro HL-7 com redução nos cubos, relação de eixo traseiro i=4,14 e bloqueio transversal de diferencial.

Além dessa configuração, a marca, por meio de seu Centro de Customização, criou o “kit parachoque fora de estrada”, com parachoque em aço, estribo articulado, grade dos faróis, barra e protetor do cárter do motor. Esses elementos deixam o caminhão mais robusto e resistente a impactos decorrentes de operações em vias não pavimentadas e solos irregulares.

“Essa flexibilidade de configurações do caminhão reforça o posicionamento do Axor como o caminhão extrapesado de melhor custo/benefício do mercado, atendendo às necessidades dos clientes do nosso Atron”, conclui Leoncini.

 

Por Pietra Alcântara com informações da Mercedes-Benz

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados