sexta-feira, outubro 30, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Venda de caminhões fecha semestre em alta

- Publicidade -

O ano de 2019 começou marcado pelo otimismo no Brasil e, especialmente, no segmento de veículos pesados. Porém, a coisa mudou nos meses seguintes. Ainda assim, mesmo com o resfriamento das expectativas do mercado geral, as vendas de caminhões e ônibus continuam crescendo e fecharam o semestre em alta de 46,1% e 72,7% respectivamente. A Anfavea (Associação Nacional de Veículos Automotores) segue otimista também em relação a segunda metade do ano.

 

Caminhões

caminhoes

De janeiro a junho de 2019 foram vendidas 46.779 unidades de caminhões no Brasil. Isso representa um crescimento de 46,1% em relação ao primeiro semestre de 2018, quando foram vendidas 32.025 unidades. Apenas para efeito de comparação, ao longo de todo o ano de 2016, o pior da última década, foram vendidos 50,6 mil caminhões. Isso mostra que o mercado tem se recuperado, mas o caminho ainda é longo, principalmente quando comparado aos números anteriores à crise. As vendas deste semestre se assemelham as vendas do primeiro semestre de 2009.

grafico anfavea 2019
Dados da Anfavea

O segmento de pesados continua sendo o grande destaque nesse cenário, já que que fechou o semestre em alta, com 69,4% de crescimento. Semipesados cresceram 36,2%. Destaque também para médios e semileves, que cresceram 56,4 e 45,6% respectivamente. Porém, em unidades, esses segmentos são menos representativos. Leves apresentou queda de 4,9%.

Caminhões

Unidades (de janeiro a junho)

Variação 2018/2019
Leves 5.392 – 4,9%
Médios 4.669 56,4%
Semipesados 10.035 36,2%
Pesados 24.041 69,4%

Dados da Anfavea

Se a comparação for feita entre o mês de junho de 2019 x 2018, o mercado cresceu 34,8%, passando de 5.703 unidades para 7.686.

 

Ônibus

onibus

Ônibus segue a mesma tendência de alta. No primeiro semestre de 2019 foram 9.623 unidades vendidas, um crescimento de 72,7% em relação a 2018. No mês de junho foram 1.515 unidades, alta de 66,7% em relação as 909 unidades vendidas em junho de 2018. Todas as montadoras viram suas vendas crescerem.

 

Máquinas agrícolas

Vendas_de_caminhoes_continuam_a_crescer_maquina_agricola

O mercado de máquinas agrícolas está com mais dificuldade de se recuperar. As vendas no primeiro semestre terminaram praticamente estáveis, com retração de apenas 0,1% em relação ao mesmo período de 2018. Porém, as vendas de junho foram 11,7% menores. Foram 4.351 unidades em 2019 contra 4.925 unidades em junho de 2018. Para efeito de comparação, no primeiro semestre de 2015, por exemplo, foram vendidas 30,5 mil unidades.

 

Exportações

As exportações continuam em queda puxadas essencialmente pela retração do mercado argentino. As baixas vêm de todos os setores. Os veículos leves fecharam o semestre com 41,5% de queda. Segmento de caminhões caiu 58,6 % e ônibus 21,6%. Máquinas agrícolas retraíram 2%.

Veículos Unidades (de janeiro a junho) Variação 2018/2019
Leves 212.239 – 41%
Caminhões 5.946 – 58,6%
Ônibus 3.712 – 21,6%
Máquinas agrícolas 6.072 – 2%

Dados da Anfavea

O cenário fez com que a Anfavea revisse sua expectativa para o ano. No início de 2019, a associação já previa uma queda por conta da crise na Argentina, mas não esperava que ela viesse de forma tão acentuada. Se antes o esperado era uma queda de 6,2%, com 590 mil veículos exportados no geral, o número agora é de 450 mil unidades e uma queda de 28,5%.

 

Otimismo para o segundo semestre

anfavea presidente luiz
Luiz Carlos Moraes, presidente da Anfavea

A Anfavea crê ainda em um bom segundo semestre apoiado na queda de juros e diminuição da inadimplência. Segundo a associação, com a queda esperada para a taxa Selic, o mercado tende a baixar os juros ao consumidor, o que levaria mais pessoas a comprar veículos e outros bens. Além disso, está aumentado o valor disponível para empréstimos. Essa soma de fatores fez com que a Anfavea mantivesse sua previsão de vendas para o ano inalterada (com exceção dos dados de exportação).

tabela_projecoes_anfavea
Projeções para 2019 | Dados da Anfavea

 

Clique aqui para ver a carta da Anfavea na íntegra.

Por Paula Toco

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados