quinta-feira, outubro 1, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Vídeo sobre descarte de alimentos no Ceagesp é falso

- Publicidade -

Você recebeu nos últimos dias um vídeo sobre a situação da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp)? Nele, caminhoneiros aparecem descartando cargas devido ao fechamento do local, atribuído ao surto de coronavírus.

Leia também: Transporte tem queda de 26% no volume de cargas

ceagesp fake news

Esse vídeo é falso! Como assim? Continue lendo para entender.

 

Vídeo no Ceagesp

O vídeo gravado é real, porém registra o que ocorreu durante as fortes chuvas que atingiram a capital paulista em fevereiro deste ano.

Na ocasião, o Ceagesp ficou alagado e caminhoneiros tiveram de descartar alimentos no local. O vídeo não tem nenhuma relação com o atual momento de surto de covid-19 enfrentado pelo país.

Em nota divulgada na sexta-feira, 27, a Ceagesp afirma que entrepostos continuam funcionando normalmente e seguindo rigorosas medidas de higienização. “Os entrepostos continuam funcionando, recebendo e escoando mercadorias para que alimento não deixe de chegar na mesa dos brasileiros”, diz o texto.

Denúncias de notícias falsas podem ser enviadas pelo email ceagesp@ceagesp.gov.br.

 

Ceasa de BH

ceasa bh
Imagem: Ceasa BH

A Central de Abastecimento (Ceasa) de Contagem, na Grande Belo Horizonte, também foi vítima de fake news nos últimos dias. Um vídeo do local vazio foi compartilhado.

O vídeo é falso e a informação já foi desmentida por jornalistas e pelo próprio Ceasa de BH, que está funcionando normalmente e não sobre de desabastecimento.

Segundo a Ceasa, o homem que fez o vídeo ainda não foi identificado. “Até o presente momento, nós não conseguimos identificar quem é a pessoa, se é comprador ou se é um visitante que veio para a feira”, informa o órgão ao UOL.

 

Circulação de caminhões

Após o anúncio de alguns governadores de fechar suas fronteiras estaduais, começaram a circular nas redes a informação de que apenas caminhões com produtos alimentícios poderiam circular nas cidades. Isso não é verdade.

São necessários produtos que garantem o funcionamento de indústrias de alimentos, remédios, gases hospitalares, máquinas hospitalares e tantos outros setores. Por isso, cargas em geral seguem com circulação liberada entre os estados e também na maioria das fronteiras entre Brasil e seus vizinhos.

 

Por Pietra Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados