quarta-feira, agosto 12, 2020
- Publicidade -

É caminhão ou bonde? Conheça o projeto de estradas e caminhões elétricos

- Publicidade -

Você se lembra dos bondes? Aqueles veículos que andavam sobre trilhos e com cabos de força que os ligavam a uma rede elétrica que garantia sua movimentação décadas atrás. Pois é, eles estão evoluindo para caminhões elétricos.

Hoje alguns bondes ainda rodam como parte do turismo de algumas cidades brasileiras, mas a maioria foi desativado por ser um pouco engessado. No lugar deles, algumas cidades, como São Paulo, adotaram o tróleibus. Esse veículo é um ônibus que não roda com combustível e sim pela eletricidade obtida pelos cabos aéreos em que ele é conectado. Não que essa seja uma tecnologia inovadora também. Ela já existe desde 1882.

Então qual é a novidade afinal? A novidade é o uso dessa tecnologia em rodovias. A Siemens, empresa alemã com um braço focado em energia, anunciou em Montreal/Canadá, a disponibilidade da tecnologia eHighway.

eHighway e caminhões elétricos

Caminhão elétrico em rodovia elétrica
Caminhão elétrico em rodovia elétrica

Projetos de carros e até ônibus 100% elétricos são vistos a todo momento, porém protótipos de caminhões elétricos ainda são minoria. Existem os híbridos, que combinam o sistema elétrico com motor a diesel, etanol, biodiesel e outras opções, mas 100% elétricos, não.

Segundo a Siemens, isso acontece porque para dar autonomia de 800km a um caminhão elétrico, seria necessária uma bateria de lítio de 23 toneladas. Agora, com esse peso de bateria, o que sobraria de espaço para a carga em si? Nada.

Então a empresa pensou em trazer a tecnologia dos bondes para as rodovias, colocando cabos elétricos em que os caminhões se conectariam enquanto rodam por esses trechos. São as eHighway, ou rodovias elétricas.

eHighway ou rodovia elétrica
eHighway ou rodovia elétrica

Ao utilizar a eletricidade, os veículos dispensariam outros combustíveis. Mas um caminhão não vive só na rodovia, e quando tivesse que sair dela?

Aí eles usariam suas baterias internas. Bem menores, pois só precisam garantir autonomia nos trechos urbanos. E mais: essas baterias seriam recarregadas enquanto o caminhão está rodando nas rodovias conectados a rede elétrica. Assim, os veículos de carga não precisariam queimar uma gota de combustível durante toda sua jornada. O que traria uma queda nos custos e um ganho para o meio-ambiente.

Isso é bonito, mas é viável?

Segundo a Siemens, sim! A empresa afirma que como o caminhão só precisa estar conectado quando está em rodovias, isso exigiria poucos quilômetros de vias com cabos. Poucos em relação ao total de vias de um país. Eles afirmam, por exemplo, que todos os caminhões rodoviários alemães poderiam operar com apenas 4 mil quilômetros de fios. E mais, afirmam ainda que a tecnologia está pronta, é só usar.

Bom para países como a Suécia, que pretende eliminar o uso de combustíveis fósseis no transporte até 2030. Não é a toa que as duas montadoras que já estão fazendo teste com a Siemens para desenvolver caminhões elétricos são as suecas Volvo e Scania. Vamos falar mais disso abaixo.

Veículo híbrido em teste na Suécia
Veículo híbrido em teste na Suécia

E fica mais barato?

Segundo a Siemens, a eficiência do caminhão elétrico nesse modelo é 80% maior. Isso garantiria uma economia em combustível da ordem de 75%. Imagine, a cada R$ 100,00 que você gasta em combustível, gastaria apenas R$ 25,00. A empresa estima que um caminhão 40 toneladas, que roda 100 mil km/ano na Alemanha, economizaria 20 mil Euros por ano. Isso com preços alemães, mas ainda assim, são em torno de R$ 75.000,00.

O ganho ao meio ambiente seria outra vantagem. A empresa calcula que, se 30% da frota alemã fosse de caminhões elétricos, 6 milhões de toneladas de CO2 (gás carbônico) deixariam de ir parar no ar que respiramos.

Custos e benefícios dos caminhões elétricos
Custos e benefícios dos caminhões elétricos

Como funciona na prática?

O mundo ideal é que o caminhão elétrico se conecte a rede. Rode por quantos quilômetros precise na rodovia. Na hora de sair dela, a uma velocidade de até 90km/h, ele aperta um botão que se desconecta da rede e recolhe a parte externa da estrutura. Assim que sai da rede, as baterias internas assumem e o caminhão segue normalmente sua jornada.

No dia 22 de junho foi inaugurado o primeiro trecho de uma eHighway. A E16, rodovia da região de Estocolmo, capital da Suécia, recebeu 2 quilômetros de estrutura elétrica. Um caminhão Scania G360 4×2 vai rodar por dois anos testando a tecnologia. Os testes devem ocorrer em todo tipo de clima, mas não mexeram com a estrutura já existente na rodovia. O veículo não é 100% elétrico, nem daria, já que apenas dois quilômetros não recarregariam suas baterias. O caminhão é um híbrido elétrico/biocombustível, já comercializado pela marca e adaptado para o projeto.

O modelo de teste é um híbrido elétrico/ biocombustível
O modelo de teste é um híbrido elétrico/ biocombustível

Veja abaixo os vídeos do primeiro teste da eHighway e do caminhão elétrico.

Gostou da novidade? Mais informações você encontra no site da própria Siemens (em inglês). Conheça também os caminhões autônomos clicando aqui(esse é em português).

Por Paula Toco

Imagens: Scania CV AB e Siemens 

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados