terça-feira, outubro 27, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Estrada da Ribeira e Transbrasiliana não serão pedagiadas

- Publicidade -

As rodovias Estrada da Ribeira (BR 476) e Transbrasiliana (BR 153) ficaram de fora da lista de BRs que serão concedidas à iniciativa privada pelo Governo do Paraná.

Leia também: BR 101 em SC terá quatro praças de pedágio

br 153 transbrasiliana
Trecho da BR 153 no Paraná, que já teve obras feitas. | Imagem: Dnit

Foram consideradas inviáveis a Estrada da Ribeira, na ligação entre Curitiba e Adrianópolis, na divisa com São Paulo, e uma porção ainda inconclusa da chamada Transbrasiliana, entre Alto do Amparo, distrito de Tibagi, e Imbituva, nos Campos Gerais.

O estudo que está sendo elaborado pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL) em parceria com a IFC, do Banco Mundial, considerou que as duas rodovias têm fluxo baixo e grande necessidade de obras, o que tornaria a tarifa cara.

Por isso, os trechos acabaram tirados do pacote de 3,8 mil quilômetros do novo pedágio – 1,3 mil a mais do que atual Anel de Integração.

 

Transbrasiliana

A inclusão nos lotes a serem pedagiados era a esperança de ver concluída uma das maiores rodovias do Brasil, que é interrompida no Paraná. A Transbrasiliana foi idealizada pelo presidente Juscelino Kubitschek, no final da década de 50, para ligar o interior do país à futura capital, Brasília. Tem 4,3 mil quilômetros, entre o Pará e o Rio Grande do Sul. Foram muitos anos de obras, suspensas várias vezes.

No Paraná, um trecho ficou sem asfalto. Do percurso ainda não pavimentado, apenas entre Ventania e Alto do Amparo foi finalizado, mas foram duas décadas para que a obra de 82 quilômetros se tornasse realidade, em 2014.

Restou ainda um pedaço que hoje ainda é apenas um risco no mapa. São 56 quilômetros até Imbituva. Atualmente o trajeto é feito por vias municipais não asfaltadas.

O projeto de pavimentação não seguiria o mesmo traçado. Significaria praticamente abrir uma rodovia, uma obra cara, considerando que a Transbrasiliana tem pouco movimento de veículos para custear o investimento.

Embora, a ligação entre Alto do Amparo e Imbituva tenha sido excluída do pacote de rodovias a ser pedagiado, a porção norte da BR 153 no Paraná fará parte de um dos lotes de concessão em 2021.

 

Adaptado de Gazeta do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados