sábado, outubro 31, 2020
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

Exportações de pesados seguem em queda, segundo Anfavea

- Publicidade -

De acordo com os dados divulgados pela Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) nesta quinta-feira, 5, as exportações de veículos pesados seguem em queda quando os números são comparados ao ano de 2018.

expectativa_de_vendas_de_pesados

Existe uma pressão no setor de veículos devido a possibilidade de aumento do preço do aço, que impacta diretamente a produção das montadoras, que no momento estão em negociação.

Já os distúrbios e conflitos políticos na América Latina, segundo a Anfavea, ainda não afetaram o mercado, mas podem afetar caso continuem. Principalmente o mercado de ônibus, já que o Brasil é fornecedor de países como Chile e Colombia.

Sobre as vendas de pesados, a associação acredita que sua previsão de venda de 123 mil unidades (de ônibus e caminhões) em 2019 vai se concretizar.

E a Anfavea ainda acredita no projeto de renovação de frota de veículos no Brasil. “A gente não desiste do projeto de renovação de frota, principalmente no estado de São Paulo. É um projeto bastante complexo e precisa de um equilíbrio entre social, econômico e ambiental”, afirmou Luis Carlos Moraes, presidente da Anfavea, durante a divulgação das vendas de novembro.

 

Caminhões

investimento da scania

As vendas de caminhões em novembro tiveram saldo de 9,1 mil unidades, 18% a mais em relação ao mesmo mês de 2018. Os números, porém, foram menores quando comparados a outubro deste ano, que teve 9,4 mil caminhões vendidos, uma diferença de 3,8%.

No acumulado houve aumento. De janeiro a novembro deste ano foram vendidos 92,7 mil caminhões, contra 68,4 mil no mesmo período do ano passado, representando 35,7% de crescimento.

As exportações de caminhão seguem em queda. Foram 10,8% a menos em relação a novembro de 2018. Foram 1,2 mil unidades exportadas neste mês, contra 1,5 mil exportadas em outubro, uma diferença de 17,1%.

No acumulado, também houve queda nas exportações de pesados: 46,7% em relação ao ano passado. De janeiro à novembro de 2018, foram 23,6 mil unidades exportadas, em comparação com 12,6 mil exportadas no mesmo período em 2019.

 

Ônibus

onibus categoria D

Foram 1,6 mil unidades vendidas em novembro, o que representa  aumento de 13,6% em relação ao mesmo mês de 2018. Já em relação a outubro deste ano, houve queda de 23,3%.

No acumulado, o saldo foi positivo. Foram 19 mil unidades vendidas entre janeiro e novembro de 2019, contra 13,6 mil registradas no mesmo período de 2018, uma diferença de 39,6%.

Foram 645 unidades exportadas em novembro deste ano, uma diferença de 29,8% a mais em relação a outubro. Quando comparado com o número de exportações em novembro de 2018, houve queda: foram 1,1 mil unidades exportadas no mesmo mês do ano passado, contabilizando diminuição de 29,8%. No acumulado, a queda foi de 22,7%.

 

Máquinas agrícolas

imagem de uma máquina agrícola no campo

Neste mês foram 3,3 mil unidades vendidas, 11,8% a menos que as unidades vendidas em novembro de 2018. Em relação ao mês passado, houve queda de 21,7% nas vendas.

No acumulado, o saldo também foi negativo: 6,8% de queda, com 40,4 mil unidades vendidas em 2019 e 43,3 mil em 2018.

Assim como outubro, novembro também teve aumento nas exportações de máquinas agrícolas. Foram 11,9 mil unidades exportadas entre janeiro e novembro deste ano, contra 11,8 mil no mesmo período de 2018, representando 1,1%.

Para ver a carta na íntegra, clique aqui.

 

Por Pietra Alcântara

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Você pode gostar
posts relacionados