Ontem aconteceu a 4a reunião entre governo, entidades dos transportes e caminhoneiros. O encontro durou apenas uma hora e meia e parece que ministros e motoristas tiraram conclusões bem diferentes dos resultados.

Enquanto os autônomos concluíram que o governo frustrou suas expectativas ao não validar uma tabela mínima de frete e por conta disso estão se organizando em novas paralisações, que já atingiram cinco estados nesta quinta-feira, o governo garante que o diálogo com os caminhoneiros está indo muito bem.

Mesmo que os representantes dos autônomos presentes na reunião tenham saído do planalto gritando “O Brasil vai parar”, o ministro Miguel Rossetto afirmou “Há um reconhecimento muito grande, por parte das lideranças, de um novo tempo. O governo respeita, o governo dialoga, o governo escuta.”

Quanto à principal reivindicação dos motoristas, a tabela mínima de frete, o ministro disse que o governo a considera inconstitucional, mas acredita na importância da criação da tabela como sendo referencial. O que muitos questionaram, desde reuniões anteriores, foi o fato de o governo não ter dito desde o começo que a tabela seria inconstitucional. Essa demora em ser objetivo no diálogo com a categoria criou uma ideia de que o governo estaria tentando ganhar tempo.

Quanto aos protestos de hoje, o ministro garante que são manifestações pequenas e reafirma que a categoria reconhece as propostas do governo.

Por Paula Toco

Veja pronunciamento completo do Ministro Miguel Rossetto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here