Estão avançando as negociações para a pavimentação da estrada que liga Boa Vista, em Roraima, a Georgetown, capital da Guiana. Segundo o senador Romero Jucá, há um trecho de 400 quilômetros no país vizinho que carece de pavimentação, e a rodovia, quando finalizada, vai mudar para melhor o panorama logístico do estado.

“O governo brasileiro será parte nesse esforço para construir um financiamento que dê condições de asfaltar, assim como construir as pontes necessárias. Essa estrada gerará uma condição diferenciada para Roraima e para a Amazônia Ocidental. A logística vai mudar; nós vamos receber insumos diretamente pelo Porto de Georgetown de uma forma muito barata e vamos ter no escoamento da produção também um diferencial muito grande”, afirma o senador.

De acordo com o embaixador da Guiana no Brasil, George Talbot, a estrada é um processo longo, de qualidade e de suma importância para ambos os países. Contudo, apesar de ter informado que o orçamento nacional da Guiana já tem recursos direcionados às obras, ele não desconsiderou a parceria com o Brasil para o caso.

 

Por que a pavimentação da estrada é importante?

Em novembro do ano passado, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), contratado pela República Cooperativista da Guiana, apresentou um estudo sobre a possibilidade de pavimentação da estrada Linden-Lethem, que depois se conectaria a Boa Vista. Segundo o embaixador do Brasil na Guiana, Lineu de Paula, houve interesse por parte dos empresários brasileiros em razão do potencial de exportação dos produtos da Guiana via Georgetown. “De Boa Vista a Manaus, e de lá por todo o rio Amazonas para o Oceano Atlântico é uma loucura”, relatou. A partir do estudo e do interesse demonstrado pelos empresários, o embaixador explicou que era necessário agir.

Neste contexto, o Encontro Empresarial Bilateral veio para permitir que as autoridades dos dois países, bem como empresários e produtores, possam dialogar, tirar dúvidas e saber em que pontos um país pode ajudar o outro. “O encontro faz parte de um processo de intercâmbio entre os dois países, um passo importante que vai oferecer possibilidade de investimentos aos empresários do Brasil e de Roraima para investir na Guiana, ou ampliar as operações”, comentou o embaixador da Guiana, George Talbot. (A.G.G)

 

Adaptado de Agência Senado, com informações do Folha Web.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here